MISS tem Mostra de Cinema de Moçambique; confira programação

Por Secult Santos

Com sessões de curtas, médias e longas-metragens, além de debates entre realizadores audiovisuais de Moçambique, da Baixada Santista e antropólogos, a Mostra de Cinema Moçambicano chega ao Museu da Imagem e do Som de Santos (Miss) entre esta quinta-feira (8) e sábado (10), sempre às 20h, com entrada franca. O evento apresenta um pouco da cultura do país africano, que possuí laços de identidade com o Brasil.

A abertura da programação, nesta quinta-feira (8), reúne os filmes ‘Mãe dos Netos’ e ‘Espelho Meu’, além de debate sobre produções que unem animação e documentário. O Miss fica no piso térreo do Centro de Cultura Patrícia Galvão (Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias). Mais informações pelo telefone 3226-8019.

Quinta-feira (8), às 20h
>> ‘Mãe dos Netos’ (documentário e animação) de Isabel Noronha e Vivian Altman
O curta, aclamado como melhor do País em 2008, é uma das inúmeras histórias resultantes do drama do HIV/AIDS em Moçambique, que destrói famílias e deixa nas mãos dos idosos a criação das crianças.
>> ‘Espelho Meu’ (documentário e animação) de Isabel Noronha e Vivian Altman
O filme é uma viagem de descoberta do universo feminino. Aborda as perspectivas de mulheres originárias de quatro diferentes lugares do mundo (Moçambique, Irã, Brasil e Espanha). Premiado do melhor documentário no Festival Documenta Madrid (2011) e no Festival Internacional de Soria, da Espanha (2012).
>> Mesa redonda – ‘Género’ e ‘Documentário e Animação’, com Isabel Noronha, Vivian Altman, Raquel Pellegrini e Vanessa (da Associação Camará)

Sexta-Feira (9), às 20h
>> ‘Junod’ (documentário) de Camilo de Sousa
Enfoca a vida e obra do suíço Henri-Alexandre Junod (1863-1934), um homem de múltiplos talentos: antropólogo, linguista, fotógrafo, entomologista e escritor de ficção. Filmado em Moçambique e na África do Sul, países onde Junod viveu. Intelectuais, seguidores e descendentes do brilhante pensador falam acerca da modernidade do seu trabalho.
>> ‘Na Dobra da Capulana’ (documentário) de Camilo de Sousa e Isabel Noronha
O documentário é uma viagem ao reino encantado da ‘capulana’ (pano usando para cobrir o corpo). Revela um universo tipicamente feminino por meio de situações e narrativas de um grupo de mulheres que, tal como todas as moçambicanas, usa a capulana para diversos fins.
>> Mesa Redonda – ‘Antropologia e Questões Culturais dos Tsonga’, com Camilo de Sousa e os antropólogos Marta Jardim e Luiz Passador

Sábado (10), às 20h
>> Ngwenya, o crocodilo (documentário) de Isabel Noronha –  90 minutos
Fala de Ngwenya, o crocodilo, cujo espírito fala uma língua própria e voa em sonhos por um universo fantástico, que só as cores podem traduzir. E de Xiluva, uma menina cujo destino foi mudado pela chegada à sua vida de uma mulher vinda de um universo mágico. Filme sobre a vida e obra do pintor Malangatana. Prêmio Janela para o Mundo de melhor documentário da África, Ásia e América Latina no Festival de Cinema de Milão (2009).
>> Mesa Redonda – ‘Tradição e Modernidade’, com Isabel Noronha e o antropólogo Luiz Passador

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s