Danilo Nunes: ‘Sadek, mais respeito com a cultura da Região!’

Por Danilo Nunes | Foto: Alcione França

O governo de Geraldo Alckmin parece ter uma vocação para destruir projetos que contemplam a sociedade, além de fazer questão de demonstrar a sua pouquíssima afinidade com a Cultura. Na última terça feira, dia 7 de março, o então Secretário de Estado da Cultura José Roberto Sadek, escreveu um curto texto que nos dá a impressão de carinho e apreço dessa gestão para com a população, principalmente àqueles que mais necessitam de políticas públicas.

São de espantar as palavras do atual secretário nos mostrando números e referindo-se ao Projeto Guri, ao mesmo tempo em que qualquer gestor saberia que transferi-lo das proximidades daqueles que não dispõem de condições financeiras para um lugar mais afastado, é claramente jogar contra um trabalho social, tirando as condições de continuidade em atender a quem o projeto se propôs a atender. A atitude do governo foi repudiada a ponto de causar indignação nos vereadores de Santos, mesmo os que compartilham da mesma filiação partidária do atual governador do estado.

Não bastasse isso, o Projeto Guri foi transferido para a Cadeia Velha. Talvez para justificar o desrespeito com a cultura local em destituir o lugar como pólo cultural e transformá-lo no escritório da Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM) que, por sinal deve ser uma instituição bem ativa e de grande contribuição para a gestão da política pública local. Será que o morador da Baixada Santista conhece e tem boas referências sobre ela?

A Cadeia Velha que respirou cultura por anos e, historicamente, foi espaço de encontros e apresentações de artistas, como Patrícia Galvão (PAGU), Plínio Marcos, Maurice Legeard, Toninho Dantas, Zéllus Machado, abrigando também a sede da tradicional Federação Santista de Teatro Amador (FESTA), da Escola de Circo e do Curta Santos, hoje se reduz a um mero escritório.

Através de seus representantes, a AGEM nos afirma que disponibilizará uma cela para atividades culturais. Será que o mais sensato não seria a cultura disponibilizar uma sala para tal escritório? A Cadeia Velha que sediou por anos as Oficinas Culturais PAGU e, através dela em parceria com o movimento cultural – sempre ativo na região – ressignificou a Praça dos Andradas e seus arredores, antes conhecida como ponto de tráfico e roubos. O problema, aparentemente de segurança pública, foi solucionado através da formação cultural e diálogos com a população.

Portanto, Sr. Secretário, não se trata de números, mas de bom senso e olhar gestor, além do entendimento de que a política pública se faz com e para a população que elegeu o governo para o qual o senhor trabalha. Lembre-se que um funcionário público deve prezar acima de tudo pelo bem estar social, e por essa razão todo o movimento cultural de Santos está unido com a Câmara dos Vereadores da cidade e com a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) que vieram reforçar essa luta. Desse modo, o coro pelo Centro Cultural Cadeia Velha e contra o desrespeito para com os alunos do Projeto Guri da Zona Noroeste em Santos, aumenta a cada dia, pois juntos somos mais fortes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s