Lume, Mercearia de Ideias e Sinfônica de Cubatão neste fim de semana no Sesc Santos

Por Sesc Santos

O Sesc Santos reúne vasta programação neste final de semana (dias 5 a 7), na Rua Conselheiro Ribas, 136.

Improvisação e composição: Com Luiz Bongiovanni

Esta oficina busca instrumentalizar os participantes com ferramentas teórico-práticas para que possam utilizar a improvisação, tanto para iniciar reflexões sobre coreografia, quanto colaborar em processos coreográficos. É uma oficina para iniciantes que tem como objetivo principal oferecer uma introdução a uma perspectiva específica do assunto e desmistificar o assunto para aqueles que pouco ou quase nada fizeram de improvisação.

A técnica referida se baseia em relações que podem ser imaginadas a partir de interações entre partes corporais e locações espaciais, e no duplo conceito de ferramenta-tarefa. As partes corporais podem ser indicadas como móveis e alguns pontos espaciais designados como fixos. A partir desta teorização uma série de tarefas são propostas. As tarefas são enunciados e/ou proposições que solicitam dos artistas resoluções práticas. Auditório. Grátis. 05/05. Sexta, das 16h às 18h30.

Dança: ‘Breve Compêndio para Pequenas Felicidades e Satisfações Diminutas’, com Núcleo Mercearia de Idéias

Qual é a felicidade, ainda que efêmera, que dá sentido à vida? A partir desta indagação, o grupo também estimulou indagações sobre os obstáculos que atravessam a vida. O espetáculo trabalha a individualidade de cada intérprete e sua própria relação com o tema. “Optamos por fazer uma reflexão que não parte do senso comum sobre a felicidade geral, associada, na maior parte do tempo, ao amor, à saúde, aos bens materiais, mas a um outro tipo de felicidade, aquela que cada pessoa descobre individualmente e nutre ao longo da vida”, diz Bongiovanni, autor da coreografia. “A pesquisa parte de vivências e experiências de cada artista, como cada um busca a felicidade e quais os entraves que encontra. A partir daí, elaboramos uma lista, um breve compêndio, que apresenta no âmbito cênico uma manifestação.”

O espetáculo também explora a ambiguidade que algumas situações podem apresentar. “É no binômio felicidade e obstáculos, que o espetáculo se desdobra. Trabalhamos, por exemplo, o tempo a partir da ideia de velocidade, da pressa, do tempo imaginado, do medo, do receio, da ansiedade, mas também das pequenas gentilezas, do tempo de cada um, do direito à fala de cada indivíduo, do acolhimento, do que cabe dentro de um abraço”, acrescenta o coreógrafo. Teatro. R$ 20,00. R$ 10,00 (uuu). R$ 6,00 (ttt). 05/05. Sexta, às 21h.

Do que são feitas as Danças? A construção de uma linguagem artística com crianças na escola

A dança é um componente curricular que precisa estar presente na escola, mas como é o processo de ensino e aprendizado da dança para as crianças no contexto escolar? A partir de um olhar da dança como linguagem artística, essa oficina pretende apresentar e experienciar os elementos próprios desta linguagem, bem como criar e oferecer estratégias que acionem a perspectiva lúdica do ensino da dança. Com Carolina Romano e Renata Fernandes (Foto: Bruna Quevedo) Inscrições pelo email: oficinas@santos.sescsp.org.br | ou no Dia da Atividade| Vagas Limitadas! Teatro. Grátis. 06/05. Sábado, das 10h às 13h.

Quem Dança na Escola? Com Odilon José Roble e Carolina Romano Andrade

A discussão atual sobre quem deve ensinar dança na escola e como fazê-lo expõe avanços, posições políticas, desejos e preconceitos. Por décadas reivindicamos uma maior atenção ao movimento no ambiente escolar mas hoje, frente ao estabelecimento de novas bases para o currículo, apressamo-nos em restringir os conteúdos em uma inconveniente aparência de reserva de mercado. O entendimento do que queremos ao propor o ensino da dança na escola nos coloca o desafio do diálogo e da construção de uma episteme efetiva sobre a educação do corpo, aproximando, ao menos, os educadores das Artes, da Educação Física e da Pedagogia.

Somando-se a esta perspectiva trazida por Odilon Roble, Carolina Romano apresentará aspectos históricos da inserção da dança no currículo do ensino formal no Brasil e um panorama atual da produção de conhecimento em dança na escola a fim de termos subsídios para projetar o futuro que desejamos. Foto: Bruna Quevedo Inscrições pelo email: oficinas@santos.sescsp.org.br | ou no Dia da Atividade| Vagas Limitadas. Teatro. Grátis. 06/05. Sábado, das 15h às 18h.

Literatura: ‘Maria Pamonha’

Conto de tradição oral da Venezuela, muito similar a famosa narrativa da Gata Borralheira, que conta a história de euma menina conhecida como Maria Pamonha que nunca era convidade para ir ao baile da cidade por não ser importante e por não ter um belo vestido. Foyer do Teatro (Foto:Divulgação). Livre. Grátis. 06/05. Sábado, das 17h30 às 18h30.

Teatro: Prisão para Liberdade, com Carlos Simioni

Demonstra o percurso de 30 anos das pesquisas do ator junto ao LUME, abordando o treinamento físico cotidiano, as técnicas do treinamento vocal do ator, o encontro com outros mestres de linhas de trabalho e sua assimilação e a passagem do treinamento para a elaboração de personagens e construção de cenas. Auditório. Grátis. 06/05. Sábado, das 19h às 20h.

Teatro: ‘A Bola e a Boneca’, da Cia Tugudum

Bolas coloridas, bonecas, danças e diversão. Esses são os ingredientes do espetáculo infantil de dança contemporânea A Bola e a Boneca. Trata-se de um espetáculo interativo de dança-teatro da Cia. Tugudum, concebido e dirigido por Valéria Franco, que utiliza diversos elementos do imaginário infantil, explorando ao máximo suas possibilidades de interação cênica. Os personagens relacionam-se entre si e com o público, passando por várias situações pertencentes ao cotidiano infantil, recriando o lúdico e o cômico através da linguagem corporal. A Bola e a Boneca têm no elenco Ana Marcia Nori, Valéria Franco e Renata Doria e na operação de luz e som, João Carlos Dalgalarrondo. Auditório. R$ 17,00. R$ 8,50 (uuu). R$ 5,00 (ttt). 07/05. Domingo, das 17h30 às 18h30.

Música: Sinfônica de Cubatão e Zanzalá

Atualmente regida pelo maestro Rodrigo Vitta, tem em sua formação cerca de 80 músicos, entre profissionais e/ou em fase de profissionalização, que se dedicam à difusão do repertório original para sopros e percussão, percorrendo os mais diferentes estilos musicais. Essa história de sucesso começa na década de 70, com o surgimento da Banda Musical “Afonso Schmidt”, numa iniciativa do maestro Roberto Farias, cuja trajetória ganhou o reconhecimento da municipalidade, culminando, anos depois, na oficialização como Banda Musical de Cubatão. Conquistou os mais importantes títulos em nível regional, estadual e nacional, tornando-se “hors-concours” em todas as competições de que havia participado, vitórias coroadas com uma bem sucedida turnê internacional pela Áustria e Portugal. Teatro. R$ 17,00. R$ 8,50 (uuu). Grátis (ttt). 07/05. Domingo, das 18h às 19h30.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s