Arquivo da categoria: Guia de artes

Confira a programação da 5ª Semana da Cultura Caiçara de Santos

Por Márcio Barreto

A música e a poesia marcaram a abertura da 5ª Semana da Cultura Caiçara, realizada quinta-feira (15), na Pinacoteca Benedicto Calixto. No encontro da rabeca, sax e hip hop, tal ‘pluralidade’ é tema e pauta de toda a programação da mostra artística até o próximo dia 23. A semana é amparada pela Lei 2920/14, realizada pela Prefeitura em conjunto com os coletivos Percutindo Mundos e Caiçara.

Exposições, oficinas, cinema, teatro, música, contação de histórias, gastronomia, atividades esportivas e ações ambientais fazem parte da extensa programação que valoriza os hábitos locais por meio de seus artistas e pesquisadores, suas linguagens e ressignificações sobre a cultura caiçara e a nossa história. Confira a programação:

Sábado (17/mar)
>> 10h às 17h – Estação Valongo (Lg. Marquês de Monte Alegre, 2) – Feira de Artesanato Caruartes;
>> 10h – Ponta da Praia – Remada Caiçara;
>> 11h – Praia do Góes (Guarujá) – Projeto Guapuruvu 2037;
>> 12h – Praia do Góes – Oficina de culinária caiçara, com Marina Machado;
>> 14h – Praia do Góes – Almoço Colaborativo;
>> 16h – Praia do Góes – Dança da Mata;
>> 17h – Praia do Góes – Sarau Caiçara;
>> 18h – Praia do Góes – Festa É Góis, com o coletivo Percutindo Mundos, Futuráfrica Afrobraziliangrooves, Poetas da Maré, Carrossel de Baco, Nêio Mustafa, Natt Maat, Andréia Passos e Cassio Fernandes;
>> 19h – Fonte do Sapo – Coletivo Manifesta!, com música, teatro e literatura.

Domingo (18/mar)
>> 10h às 17h – Estação Valongo (Lg. Marquês de Monte Alegre, 2) – Feira de Artesanato Caruartes;
>> 10h – Rua de Lazer (Av. Ana Costa próximo à Concha Acústica) – Cortejo ‘Somos todos Caiçaras’, com música, dança, circo e teatro;
>> 10h30 – Fonte do Sapo (Av. Bartolomeu de Gusmão, s/nº, Aparecida) – Intervenção artística ‘Mar’;
>> 11h – Monte Serrat – ‘Lendas Caiçaras’;
>> 18h – Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340/Santos) – ‘Sarau Itinerante’;
>> 19h – Estação da Cidadania – O Turismo Caiçara, com Ingrid Furlan e Célio Nori;
>> 19h – Arte no Dique (Av. Brig. Faria Lima, 1349/Santos) – Banda Querô e Projeto Santo de Casa.

Segunda-feira (19/mar)
>> 10h e 14h – UME Rural Monte Cabrão (Rd. Piaçaguera-Guarujá, Km 33, Monte Cabrão) – Escola Caiçara, com bate-papo, teatro e contação de histórias sobre cultura caiçara;
>> 18h – Estação da Cidadania – ‘Museu Caiçara’, com Bianca Lopes;
>> 19h – Estação da Cidadania – ‘Restaurando a história caiçara’, com Leonardo Branco;
>> 20h – Estação da Cidadania – ‘Direito Caiçara’, com a juíza Fernanda Menna, o escrito e advogado Paulo Stanich e mediação de Eduardo Lima.

Terça-feira (20/mar)
>> 10h e 14h – UME Pedro Crescente (Av. Brg. Faria Lima, s/nº/Santos) – Escola Caiçara;
>> 19h – Estação Cidadania – Oficina de literatura com o escritor Flávio Viegas Amoreira.

Quarta-feira (21/mar)
>> 10h e 14h – UME Prof.ª Maria Luiza Alonso Silva (Pça. Eng. José Rebouças, s/nº/Santos) – Escola Caiçara;
>> 18h30 – Unifesp (R. Silva Jardim, 136/Santos) – ‘O Caiçara’;
>> 19h – Pinacoteca Benedicto Calixto (Av. Bartolomeu de Gusmão, 15/Santos) – Oficina de literatura com Flávio Viegas Amoreira.

Quinta-feira (22/mar)
>> 9h – Cecom Morro Santa Maria (R. 1, 70/Santos) – ‘Territórios e sentimentos’;
>> 13h – Cecom Morro Santa Maria – Batalha do Conhecimento ‘Eu Sou Caiçara’, com Syro Damassaclan, Zion, Brunão Mente Sagaz e DJ Lufer.

Sexta-feira (23/mar)
>> 9h – UME Rural Ilha Diana – Escola Caiçara;
>> 21h – MISS (Av. Pin. Machado, 48, térreo/Santos) – Intervenção artística ‘Sleep Mode’.

Anúncios

‘Eu, migo e meu umbigo’ diverte o Galpão Cultural neste domingo

Por Lincoln Spada

“E o palhaço deve respirar. Pois, o palhaço é o filtro do mundo”, recita o notório Ésio Magalhães, o palhaço Zabobrim. É com este espírito que Daniel Meirelis protagoniza o solo circense ‘Eu, migo e meu umbigo’ neste domingo, às 16 horas, no Galpão Cultural (Parque Anilinas). Trata-se de uma ação dos Coletivos do Galpão Cultural com apoio da Secult.

Na sinopse, a experiência do homem contemporâneo com a solidão em um mundo hiper-conectado é causa e consequência de uma série de contradições nas relações sociais. O exagero, o silêncio, o constrangimento, a raiva, o egoísmo e a possibilidade do amor, milimetricamente desajustados dentro do eu, é ponto de partida para esse jogo palhacesco.

Suspiro, um palhaço e sua mala cheia de memórias, interagindo com o mundo, depara-se com o lixo interior que foi jogado para debaixo do tapete de suas lembranças, lembranças essas que estão impregnadas em suas roupas, escorrem por suas mãos e estão pairando pelo ar.

‘Gotas de Codeína’ entra em curta temporada no Galpão Cultural

Por Lincoln Spada

De tom intimista, o monólogo santista ‘Gotas de Codeína’ retorna para curta temporada no Galpão Cultural. Para maiores de 18 anos, a sessão será realizada nesta sexta-feira (16) e no sábado (17), às 21 horas, no galpão do Parque Anilinas (Centro), no sistema ‘pague quanto puder’. O espetáculo reflete sobre questões como amor, família, sexualidade e felicidade.

A peça aborda a crise de Cesar, um homem de cotidiano comum, em profunda depressão mesmo aparentando estar contente com sua rotina. Revelando as camadas de alguém que vive atrás de máscaras, sem coragem de assumir a sua identidade, esse espetáculo já foi indicado em 2015 ao Prêmio Papo Mix da Diversidade.

“Até que ponto podemos fugir do que realmente somos? Vale a pena viver uma vida pela metade?”, reflete em cena o ator Luiz Fernando Almeida. Com larga carreira artística desde 1990, o ator participou de mais de 20 montagens e já foi contemplado como melhor ator coadjuvante no Prêmio Plínio Marcos (2009), no 17º Festac (2010) e indicado como melhor ator no Prêmio Aplauso Brasil (2013).

Protagonizado por Luiz, o monólogo conta com a direção de Paula D’Albuquerque e dramaturgia de Diego Lourenço. A obra é da Superbacana Produções, com patrocínio do Bazar Cafofo e o apoio dos coletivos teatrais locais e da Prefeitura via Secretaria de Cultura.

Com mostra e oficinas, vem aí a Semana do Artesanato em Cubatão

Por Lincoln Spada

Celebrando o Dia Nacional do Artesão (dia 19), uma série de atividades a fim de valorizar e assegurar formação permanente para os trabalhadores do segmento será realizada pela Prefeitura Municipal de Cubatão a partir da próxima semana.

A abertura da Semana do Artesanato será na segunda-feira (19), às 9 horas, na ACIC Cubatão (Rua Bahia, 163, Centro). Com entrada franca, ocorrerá nesse dia a palestra ‘Formalização para Artesãos’, ministrada por Ana Maria Monteiro, do Sebrae-SP, que abordará o projeto de artesanato da instituição, os benefícios da legalização e do empreendedorismo no setor.

Por sua vez, na quinta-feira (dia 22), às 9 horas, o cineasta cubatense Sileno Alexandre ministrará a oficina ‘Fotografia de Produtos’, no auditório da Biblioteca Central (Av. Nove de Abril, 1977, Centro). A atividade tratará sobre ferramentas para enquadramento e edição de fotos com aparelhos celulares.

As inscrições para ambas as ações podem ser realizadas pelo endereço de e-mail redepeladiversidadeculturalcub@gmail.com ou pelo telefone (13) 3362-0844. A tradicional feira de artesanato segue de quarta a sábado, das 9 às 16 horas, em frente à entrada do Parque Anilinas, na Avenida Nove de Abril, 2275, Centro. A semana é uma realização da Secretaria de Cultura via Departamento de Políticas Públicas para a Diversidade Cultural.

Sinfônica de Cubatão leva ‘Música nos Bairros’ ao Vale Verde

Por Morgana Monteiro
A Banda Sinfônica de Cubatão realiza mais uma apresentação do projeto de formação de público intitulado “Música nos Bairros”. O próximo concerto será neste domingo (18), às 15h, no Vale Verde. O pátio da UME Mário de Oliveira Moreira (Rua Vereador Paulo Enos, s/nº) será palco para a Banda. A entrada é franca.

Este concerto conta com regência do maestro-assistente Ulysses Damacena e traz músicas como “Alvamar Overture”, de James Barnes, e  “Star Wars Saga”, de John Williams com arranjo de Johan de Meij. Na canção “Trompeta de Espanha”, do compositor brasileiro Gilberto Gagliardi, haverá solo do trompetista Alessandro Ribeiro Inácio.

Na música “Pacific Dreams”, de Jacob de Haan, o Corpo Coreográfico da Banda Marcial junta-se à Sinfônica, levando uma apresentação carinhosamente preparada pela coreógrafa Alessandra Palucci. Esta é também uma maneira de realizar a integração dos Grupos Artísticos da cidade, que são Corpos Estáveis mantidos pela Secretaria Municipal de Cultura.

Esta apresentação faz parte da chamada “Série Concertante” que tem por objetivo divulgar a obra de compositores consagrados, apresentando a música clássica de raiz e foi criada pelo regente titular da Sinfônica, Rodrigo Vitta. “Nossa ideia é juntar duas forças: um repertório cheio de energia e lindos arranjos às apresentações descentralizadas, nos bairros, bem perto da comunidade”, afirma Vitta. O maestro destaca o caráter formativo da apresentação. Neste primeiro semestre, a Sinfônica também deve se apresentar no Jardim Casqueiro (Someca) e em maio, na Igreja Assembleia de Deus, no Jardim São Francisco, sempre com repertório de qualidade e solistas convidados.

‘Ègbé’ mescla teatro e hip hop nesta sexta e sábado no Braz Cubas

Por Platão Capurro Filho | Foto: Rodrigo Montaldi

No aniversário de Santos, dia 26/01, sexta-feira, às 21h, no Teatro Municipal Braz Cubas, o Grupo Teatro Widia estreia ÈGBÉ – Da Escravidão à Cidadania, espetáculo que tem como pesquisa de linguagem a Cultura Hip Hop e o Teatro de rua, ambas com discurso artístico, político e social na ocupação do espaço urbano.

A montagem também foi trabalhada para palco convencional. Os temas pesquisados e que permeiam todo o roteiro começam por Quintino de Lacerda – líder do segundo maior quilombo do país e primeiro vereador negro da cidade de Santos – chegando à atualidade com a formação das favelas, genocídio dos jovens negros, racismo, desigualdade social e abusos contra a mulher negra. O projeto foi contemplado pelo FACULT – Fundo de Assistência à Cultura de Santos.

O que mudou em 100 anos, a cidadania foi respeitada? A abolição da escravatura trouxe aos negros a liberdade, mas pouca coisa mudou. Os negros continuam presos a condições piores que no passado. O preconceito firme e ambulante. Quintino de Lacerda  sonhou com um país livre da escravidão, do preconceito e com igualdade social. Mas, o que vemos hoje em dia?

O Grupo Teatro Widia com um elenco formado por 90% de negros, utiliza o teatro, a música, a poesia, a dança, e a pintura para denunciar o racismo, a falta de oportunidades, a violência contra a mulher negra e a desigualdade social. Um cotidiano vivenciado pelos próprios atores que no processo buscaram revelar as suas lutas e o Quintino que corre em suas veias.

Serviço: Dias 26 e 27/01 | Horario: 21h
Local: Teatro Municipal Braz Cubas
Entrada franca

No Elenco: Blendon Cassio, Bruna Telly, Carol Martins, Christian Malheiros, KidJohn Mad, Alan Mad. Narração: Sander Newton. Convidados: DJ Litta Afrontite e Julio Mad

Figurino: Gilson de Melo Barros
Trilha Sonora: DJ Cuco
Coreografia BBoy: KidJohn Mad e Alan Mad
Preparação de canto:  Theo Cancello
Designer gráfico e fotografia: Rodrigo Montaldi
Painéis Grafite: Vinil Colante
Vídeo: Ferreira Filmes
Costureiras: Gisele Bilotte e Maria Aparecida
Realização: Teatro Widia Prefeitura de Santos

Equipe da primeira fase: Filipe Roseno, Veronica Oliveira, Teyles Martinez, Wilson Caiçara, Arquimedes Machado, KidJohn Mad, Maria Lisboa (Corpo), Mamuth DJ, Rodney Nunes (Preparador vocal e trilha),Vinil Colante (Grafite), Orlando Rodrigues (Produtor).

Apoio: Prefeitura de Santos, Secretaria Municipal de Cultura (Secult), Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM), Centro de Atividades Integradas de Santos (CAIS Santista), Centro Cultural Cadeia Velha, Vila do Teatro, Projeto Muito Prazer Meu Nome é Hip Hop. FACULT – Fundo de Assistência à Cultura.

Este projeto foi contemplado pelo 5º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos

7º Edital do Facult avança com envio virtual de projetos

Informações de Secult Santos | Foto: Márcio Barreto

O 7º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos tem inscrições abertas entre os dias 2 de janeiro e 30 de março de 2018. A iniciativa irá selecionar 30 projetos, cada um a ser contemplado com verba de R$ 12 mil, totalizando R$ 360 mil de aporte do Fundo de Assistência à Cultura (Facult) no incentivo à produção cultural da Cidade. O decreto 7.973, que regulamenta o concurso, foi publicado nesta sexta-feira (29), no Diário Oficial.

Podem concorrer propostas que contemplem os segmentos artísticos das artes plásticas, artes gráficas, artesanato, cultura integrada e popular, circo, artes de rua, dança, música, teatro, cinema, videografia, fotografia, literatura, patrimônio cultural e natural, infraestrutura cultural ou outros segmentos aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura de Santos.

Projeto via e-mail

Além dos valores iguais, o edital mantém quase todo o conteúdo em relação ao concurso anterior. A principal é de que, apesar da necessidade das vias impressas da documentação dos inscritos e do respectivo projeto, enquanto tramitação comum em administrações públicas, há também a condição do proponente enviar o projeto virtualmente para: facultsantos@gmail.com.

O acréscimo da versão digital atende reivindicação antiga dos artistas, em especial do Conselho de Cultura de Santos, no que se refere para facilitar a etapa da comissão de avaliadores do edital. No último edital, aberto há exato um ano, mesmo com a média de 80 projetos inscritos, a seleção de contemplados só foi oficializada em 1º de novembro.

Inscrições até março

Somente poderão habilitar-se ao concurso pessoas físicas ou jurídicas de direito privado, de natureza cultural e sem fins lucrativos, domiciliadas ou sediadas em Santos. Cada proponente poderá se inscrever em apenas um projeto. A inscrição de proposta no programa de incentivo do Facult impede a obtenção de outro benefício da Secult.

As inscrições podem ser realizadas nos dias úteis, das 9h às 12h e das 14h às 17h. O projeto a ser inscrito deverá ser entregue pessoalmente ou encaminhado por via postal, com aviso de recebimento (A.R) ou Sedex, para a Secretaria Municipal de Cultura – Facult, localizada na Av. Pinheiro Machado, 48, térreo – Conselho Municipal de Cultura, na Vila Mathias. O CEP é 11075-907.

Os formatos obrigatórios para envio de documentação e proposta artística podem ser conferidos no capítulo 5 do decreto 7.973. Mais informações podem ser obtidas na Secult, pelo telefone 3226-8000.

Etapas do edital

Ao término do prazo de inscrições, os projetos serão avaliados por comissões especializadas. A primeira fase consiste na análise da documentação obrigatória entregue pelo proponente e a segunda, na avaliação da proposta cultural segundo os critérios de valor cultural, criatividade e inovação, relevância cultural e metodologia do trabalho.

Após a publicação dos resultados no Diário Oficial, os proponentes que tiverem seus projetos selecionados serão notificados pela Secult para a formalização do Termo de Cooperação Cultural e Financeira, de acordo com a ordem de classificação, nos termos e valores determinados no decreto.