Arquivo da tag: artes plasticas

Com 130 vagas, Estação das Artes abre inscrições até esta sexta-feira

Por Lincoln Spada

Artes plásticas e artesanato são os segmentos contemplados nos novos cursos livres oferecidos gratuitamente na Estação das Artes. Ao todo 130 novas vagas são abertas neste semestre pela iniciativa da Prefeitura de Cubatão via Secretaria da Cultura. O período de inscrições é de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 12 horas e das 13 às 16 horas, até o dia 4 de agosto, na Avenida Nove de Abril, 2800, Vila Nova.

Os interessados devem apresentar RG e comprovante de residência. No caso de inscrições para menores de idade a documentação deve ser de seus responsáveis. A partir do dia 1º de agosto serão abertas 13 turmas diferentes, cada uma com 10 vagas disponíveis. Enquanto os cursos de desenho e retrato serão desenvolvidos por Julieta Wisniewski, as formações relacionadas à arte infantil e à papietagem serão ministradas por Maria Helena Silva.

Julieta é professora e artista plástica (Unisanta), com especialização em desenho artístico e pintura acadêmica (Academia de Artes de São Paulo) com trabalhos expostos pelo Brasil, Canadá e Austrália. Por sua vez, Maria Helena é professora de artes e educação ambiental (Unifesp), sendo artista plástica com ênfase em peças artesanais, recicláveis e design de moda.

Conheça os cursos

No próximo semestre, às segundas-feiras, haverá curso de desenho artístico para alunos a partir de 13 anos (das 13h30 às 16h30) e a partir de 16 anos (das 19 às 22 horas). Às terças-feiras serão atividades de retrato em grafite e coloração (das 13h30 às 17 horas e das 19 às 22 horas), ambos para interessados a partir de 14 anos.

Já às quartas-feiras, a Estação das Artes terá aulas de arte infantil voltadas às crianças de 7 a 8 anos (classes das 10 às 11h30, das 13h30 às 15 horas e das 15 às 17h30). No mesmo dia, das 13h30 às 16h30, o local contará com turma de desenho artístico, para alunos acima de 13 anos.

As quintas-feiras serão reservadas para cursos de iniciação ao desenho (das 9 às 11 horas e das 14 às 16 horas), para alunos de 9 a 12 anos. Também, à tarde, interessados de 7 a 8 anos podem ter aulas de arte infantil (das 13h30 às 15 horas e das 15 horas às 17h30). Por sua vez, às sextas-feiras, das 13h30 às 17h30, o espaço conta com curso de papietagem, para interessados acima de 12 anos.

Anúncios

São Vicente abre inscrições para o Conselho Municipal de Política Cultural até dia 28

Por Prefeitura de São Vicente

No dia 7 de maio, São Vicente elegerá os representantes da sociedade civil que atuarão na próxima gestão do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC). Os eleitos ocuparão o cargo de 2017 a 2019, tendo como desafio a elaboração de políticas culturais no Município no período.

Para participar, segundo o artigo 8º da Lei Municipal 2912-A de 4 de julho de 2012, é preciso ter mais de 16 anos e ser residente na Cidade há pelo menos dois anos. O conselho conta com 16 representantes, sendo oito deles da sociedade civil. Serão escolhidos representantes de oito áreas (para cada eleito, será escolhido também um suplente): Teatro e Artes Circenses; Artes Plásticas e Artes Visuais; Música; Culturas Populares, Tradicionais e Negra; Dança; Artesãos; Literatura; Audiovisual.

Missão

Dentre as ações prioritárias da terceira legislatura do CMPC, estão a coordenação do Plano Municipal de Cultura, a execução da Conferência Municipal de Cultura e a implantação do Sistema de Financiamento Municipal de Cultura. Os conselheiros atuarão em conjunto com a Secretaria da Cultura (Secult).

A participação na eleição é gratuita. Os interessados em candidatar-se devem realizar inscrição prévia nos postos de inscrição até o dia 28, na Secult (Rua Tenente Durval do Amaral, 72, Catiapoã) ou na Subprefeitura da Área Continental (Av. Ulisses Guimarães, 211, Jardim Rio Branco). O atendimento é das 9 às 12h e das 14 às 17h. Outra opção é no ambiente digital, pelo e-mail secult.culturasv@gmail.com, com o título Candidato ao Conselho de Cultura.

A documentação completa para a inscrição e o edital completo com as informações do certame podem ser acessados pelo http://www.saovicente.sp.gov.br/servicos-documentos-oficiais/. A lista de candidatos será disponibilizada no dia 3 de maio. Informações pelo telefone (13) 3468-8636 ou pelo e-mail secult.culturasv@gmail.com.

6º Facult – Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes tem 82 inscritos

Por Secult Santos

O 6º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos tem 82 trabalhos inscritos, que serão submetidos à análise de duas comissões, que examinarão a documentação obrigatória entregue pelos proponentes e a relevância, valor cultural e metodologia dos projetos. Do total de inscritos, 30 trabalhos serão contemplados, cada um com verba municipal de R$ 12 mil, totalizando R$ 360 mil de aporte do Fundo de Assistência à Cultura (Facult) no incentivo à produção cultural independente na Cidade.

O concurso reúne propostas nos segmentos de artes plásticas, artes gráficas, artesanato, cultura integrada e popular, circo, artes de rua, dança, música, teatro, cinema, videografia, fotografia, literatura, patrimônio cultural e natural, infraestrutura cultural ou outros segmentos aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura de Santos.

O resultado das fases de conferência de documentação e análise do conteúdo será publicado no Diário Oficial de Santos, conforme prazos de avaliação e recursais previstos no decreto 7.628, de dezembro de 2016, disponível na página egov.santos.sp.gov.br/legis/. Mais informações pelo tel. 3226-8000.

 

Mais de 40 expositores, cinema, DJs e flores gigantes no Bazar Cafofo

Por Luiz Fernando Almeida

No próximo sábado, dia 28, o Bazar Cafofo abre nova temporada e também em novo endereço, no Mercure Hotel Santos (Avenida Washington Luiz, 565). Na entrada, é possível doar 1 Kg de alimento não-perecível, que será entregue à instituição Abase, que atua com pessoas com deficiência.

Além dos desdobramentos como Cafofinho e TV Cafofo, surgem este ano o #CafofoMob, o Cafofo Micro Club (happy hour quinzenal, as sextas-feiras no Novotel em Santos), o Cafofo Store (marca de produtos personalizados e exclusivos do Bazar Cafofo) a Oficina Cafofo (cursos, palestras, workshops), só pra começar a agitar o primeiro semestre.

O evento, que há dois anos e meio tem movimentado a economia criativa na Baixada Santista, agora conta com três espaços climatizados e com wi-fi liberado: área de exposição, espaço cultural Cafofo e o Cafofo Sunset. Na edição de estreia, serão 40 expositores nos segmentos de moda, arte, design, confeitaria, artes plásticas, artesanato, moda praia, decoração entre outros.

Dentre os destaques desta edição marcas como: Liquido Moda Praia, Dona Chita Brigadeiros, Free Design Arte em Mosaico, Sapore Della Nonna (conservas), Chav Mstra Ilustrações, Ale Artes e Presentes com seus aromatizadores e sabonetes, Li Wecke Mimos e Caprichos, os geeks vão surtar com a Oliver Stor, Petite Jolie, marca conhecida nacionalmente com seus lindos sapatos e bolsas, Agua Marinha Acessórios, Madri Brigadeiros, Cafofo Store, Godê Saia, Chupa que emagrece (chup fit) as mandalas da Goldok, Donna Chic, Azure Semi Joias, a artista plástica Sylvia Bandeira, Bonecas Africanas,entre outros.

Na edição de janeiro acontece o lançamento para o grande publico, da Cafofo Store, a marca de produtos personalizados e exclusivos do Bazar Cafofo. “A ideia surgiu há um ano, mas só agora saiu do papel. Nossa linha de produtos tem estampas desenvolvidas pelo estilista Ector Caires e foi produzida em parceria com a empresa MIHA”, diz Luiz Fernando Almeida, responsável pela iniciativa. O público encontrará canecas, almofadas, camisetas, capinhas para celular, bottons, nécessaires entre outros produtos com estampas de ícones da cultura pop.

Neste dia 28, também acontece a exposição Seo Florindo – Flores Gigantes, confeccionadas em papel pelo artista André Leahun. Ele também atua na área de cenografia e decoração tendo em seu portifólio trabalhos de destaque regional como a ultima campanha da loja Antonelze, além de cenografia para espetáculos e decoração de eventos institucionais.

Ainda, às 16h, há o lançamento do Blog Suzanices, de Suzana Elias Azar, e bate-papo com blogueiras de Santos e região, como Sarah Campos (Sahssaricando) e Caroline Trevisan (B. Beauty). A partir das 17h, a Rádio Cafofo se transforma na Cafofo Sunset, com boa música promovida pelos DJs residentes do Cafofo Brazuca in Pop, Marcelo Rayel e Raquel Pellegrini. Já às 18h30, acontece o Cine Cafofo. O espaço tem como foco privilegiar o cineasta regional, abrindo espaço para os curtas-metragens, em suas diversas linguagens, com curadoria de Raquel Pellegrini.

A realização é da Cafofo Produções Eventos. Produção: Luiz Fernando Almeida. Patrocínio: Art Graphica e KG34 Publicidade. Parceria: Mercure Santos Hotel, Da Franco Restaurante e MiHa. Promoção: Saudade FM. Apoio: Cielo, Uber, Unisanta, Tripadvisor, Caderno de Cabeceira, Estilistas Brasileiros, Juicy Santos, Suzanices.

 

Em Santos, 6º Facult recebe inscrições até março de 2017; confira o edital

Por Lincoln Spada | Foto: Vinícius Terra

O 6º edital do Fundo de Assistência à Cultura de Santos, popularmente 6º Facult, consta no decreto nº 7.628/16, publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (dia 30). O concurso municipal de apoio a projetos culturais independentes terá inscrições abertas de 23 de janeiro a 9 de março de 2017.

> Confira o edital na íntegra
> Confira o observatório do Facult

Ao todo, serão R$ 360 mil distribuídos entre 30 produções selecionadas com investimento de R$ 12 mil. Além dos valores, o edital mantém quase todo o conteúdo em relação ao concurso anterior. Entre as raras diferenças, a gratuidade na difusão de obras que não preverem itinerância.

Outra mudança é que agora se entende que o proponente participa de um núcleo artístico e, neste caso, o mesmo núcleo artístico não poderá ter dois projetos aprovados no mesmo segmento. E embora as inscrições sejam ainda presenciais, a Secult se propôs a atender a demanda da comunidade artística em tornar este modelo em uma plataforma virtual noutras edições.

O 6º Facult abrange as áreas de artes plásticas, artes gráficas, artesanato, cultura integrada e popular, circo, artes de rua, dança, música, teatro, cinema, videografia, fotografia, literatura, patrimônio cultural e natural, infraestrutura cultural ou outros segmentos aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura.

Leis cumpridas

Com recursos das bilheterias de teatros e demais espaços municipais culturais, o fundo público é gerido pela Secretaria da Cultura de Santos. Desde a sua criação em 2010, esta é a primeira vez que o Facult mantém a sequência anual de editais publicados no valor completo, conforme prevê a legislação municipal.

 

Análise: Relatório mapeia de espaços culturais da Baixada Santista

O relatório virtual Cultura ao Encontro – Mapeamento de espaços culturais da Baixada Santista é uma iniciativa sem fins lucrativos realizada em maio de 2016 pelo jornalista, ator e pós-graduando em Gestão Cultural, Lincoln Spada. O objetivo do relatório é uma tentativa de mapear a maioria dos espaços culturais e espaços em potencial para tal vocação na Região Metropolitana da Baixada Santista. Acesse ao relatório completo aqui.

>> Acesse: Mapa / Análise por: Bertioga / Cubatão / Guarujá / Itanhaém / Mongaguá / Peruíbe / Praia Grande / Santos / São Vicente / Análise por: Literatura / Audiovisual / Artes plásticas e visuais / Praças / Artesanato / Patrimônio / Música / Festejos / Artes cênicas

A escolha de se debruçar no diagnóstico de espaços culturais é porque se trata de um modo mais conciso e mais próximo da exatidão de perceber a disseminação das artes na Baixada Santista. Seria inevitável encontrar grandes erros em indicadores que tentassem recorrer a todos os artistas ou iniciativas dos mais diversos segmentos num primeiro passo. No entanto, ao registrar os locais, entende-se que cada um flui com produtores e artistas de sua linguagem, e público específico, abarcando várias obras e montagens de obras num único endereço.

Ao todo, foram listados mais de 450 espaços que apresentam uma ou mais linguagem artística na região, além de outra centena de locais em potencial, como auditórios de escolas e associações. “Apesar de ser um número farto à primeira vista, com o mapeamento é possível diagnosticar que até 570 mil moradores da Região, quase um terço da população, não encontra em seu bairro sequer uma livraria, um restaurante com música ao vivo ou um cineclube”, comenta Lincoln Spada. “Em todo bairro há um comércio, escola, unidade médica e templo, mas nem sempre tem um simples local de reflexão e produção do fazer cultural, que é por vezes traços da própria identidade da comunidade e região”.

Entre outras conclusões com este mapeamento, o relatório estimula também percepções sobre as diferenças etárias e geográficas nos espaços culturais. Por exemplo, quase metade dos espaços listados se referem a redutos de formação artística, geralmente atendendo crianças e jovens. Até mesmo, os sistemas de bibliotecas, o que significa que enquanto a população regional mais envelhece, o incentivo à cultura é mais voltada aos mais novos, não atendendo a demanda de outras idades, nem estimulando o hábito de todos terem acesso às artes. Geograficamente, é possível notar que a maioria dos endereços registrados estão concentrados na orla ou no centro das cidades, demonstrando que a cultura regional está visando mais o turismo do que a própria comunidade como um todo.

Método de pesquisa

A pesquisa foi baseada em cima de informações entre 2013 e 2016 em sites de prefeituras, universidades e veículos de comunicação da Região, além de checagem da existência ou atualização de informações sobre estes locais em sites de pesquisa e redes sociais das próprias instituições entre 2015 e 2016. Dessa forma, não significa um trabalho conclusivo destes indicadores, mas de reconhecimento da maioria dos espaços registrados na Internet, como também é passível de que certas entidades possam ter se transferido ou já estejam inexistentes na região.

Compreendendo assim este relatório, é possível que gestores públicos, produtores culturais, artistas e demais interessados observem a distribuição dos espaços na região, com intuito de: diagnosticar novas construções de equipamentos públicos; efetivar parcerias com iniciativas privadas de espaços em potencial; conhecer agendas das instituições listadas; buscar locais para apresentar suas produções artísticas ou realização de ensaios; etc.

Linguagens artísticas

O relatório virtual identificou além de endereços das instituições, as datas de criação das entidades, os órgãos responsáveis pelos espaços, status (se o local está passando por obras, reformas ou aberto) e possíveis detalhamentos. Cada local podia abranger mais de uma modalidade em sua vocação cultural, sendo classificado nas seguintes modalidades: artesanato (bibliotecas, livrarias e afins); audiovisual (salas de cinemas, auditórios, cineclubes e afins); artes visuais e plásticas (galerias, escolas do setor, ateliês abertos ao público e afins); artesanato (locais onde há feiras de artesanato); música (auditórios, casas de shows, escolas do segmento e afins); artes cênicas e circenses (palcos, auditórios e cursos referentes à dança, teatro e circo, e afins); festejos (sedes e locais de ensaio de carnaval e quadrilhas juninas); patrimônio (museus e locais de acervo histórico); praças públicas de eventos (onde já há freqüência de ações culturais); e auditórios (potenciais espaços culturais, geralmente de associações e entidades com capacidade acima de 100 lugares).

*Lincoln Spada

‘Fotopinturas’ de Titus Riedl está em exposição em Santos

“Fotopinturas – Coleção Titus Riedl” é o nome da nova exposição que se encontra desde sábado (dia 14) até 16 de janeiro do próximo ano, na Galeria de Arte Patrícia Galvão (Av. Pinheiro Machado, 48/Santos). A visitação gratuita é de segunda à sexta-feira, das 10h às 20 horas, aos sábados das 13h às 18 horas.

Em parceria com a Secretaria do Estado da Cultura, ACAM Portinari, Secretaria Municipal de Cultura e Instituto do Imaginário do Povo Brasileiro, a coleção de cerca de 5 mil fotopinturas do pesquisador e sociólogo alemão Titus Riedl, que mora no Crato (CE) há dezesseis anos, é emblemática para se pensar, entre tantas outras questões, a tensão que envolve a livre criação da pintura e a mímese possibilitada pela fotografia

Em 1855, apenas dezesseis anos após a invenção oficial da fotografia, o alemão Franz Seraph Hanfstaengl espantou o mundo ao apresentar na Exposição Universal de Paris – a primeira em que fotografias foram expostas – sua técnica de retocar imagens. Ao mostrar a mesma fotografia com e sem retoque, Hanfstaengl descortinou a possibilidade desse “espelho mágico” simular uma situação, ou seja, criar uma nova “realidade”.

Uma fotopintura, portanto, traz nas suas duplas camadas o embate histórico da representação que tem a pintura e a fotografia como protagonistas. De Disdéri, no século XIX, aos fotopintores da região do Cariri da segunda metade do século XX, pouca coisa mudou do ponto de vista conceitual.

A coleção de fotopinturas de Titus Riedl possui, sobretudo, obras produzidas entre 1950 e o final dos anos 1990, ou seja, no período em que a fotografia digital ainda não havia massificado e expandido a circulação de imagens como nos dias de hoje.

Em diversas imagens das 34 expostas nesta exposição, sem que nos apercebamos, estamos diante de retratos de pessoas mortas fotografadas no seu leito mortuário. Eles retornam à vida pela destreza de alguns fotopintores que habilmente reabrem seus olhos, já fechados para sempre no original fotográfico. A pintura ressuscita aquilo que a fotografia atestou como morto’.

É na diversidade de estilos, na riqueza contida na recriação do povo nordestino, nos laços de afetividade visíveis, nos detalhes do vestuário, das texturas, nos contrastes de cores saturadas e no embate entre verossimilhança e criação artística que repousa um testemunho belo e pulsante da cultura popular sobre nossa identidade.

*Gustavo Klein