Arquivo da tag: coletivo

Baobá Coletivo de Arte se apresenta no Parque Vila de SV

Por Baobá Coletivo de Arte

Neste sábado (dia 5), às 19h, o Baobá Coletivo de Arte realiza mais uma apresentação do Projeto PRETUme. Dessa vez, a apresentação cênica está prevista no Parque Cultural Vila de São Vicente (Praça João Pessoa). “Espaço que que carrega por si só grande parte da nossa história e cultura afro-brasileira”, cita o organizador e ator Bruno Oliveira.

 

Mostra Cinemão aborda a diversidade sexual nas telonas; inscreva seu filme

Informações de Betinho Neto

O dia 24 de fevereiro é quando estreia a Mostra Cinemão de curtas-metragens, que terá caráter bimestral e gratuito, no Cine Arte Posto 4. O evento tem como objetivo estimular e promover a conscientização do público em geral para um olhar de respeito ao outro, promovendo a equidade de gênero, a cultura e a cidadania da população LGBT, através do audiovisual na difusão de informações importantes à comunidade sobre as questões relativas aos gêneros e às sexualidades.

A ação é uma realização do Coletivo Sanatório Geral e da produtora Fabiana Conway, envolvendo-se na seleção dos filmes. “Queremos poder fazer sessões no QG Sanatório (no Casarão Santa Cruz) para a seleção dos filmes, convidando pessoas do movimento LGBT para também participarem ativamente nas escolhas”, conta Betinho Neto. A Fabi é peça essencial para que o Cinemão aconteça, pois é uma grande produtora de cinema em Santos!”

A mostra elegerá as produções que contemplem aspectos relacionados a temática da diversidade sexual como ela é de todo o mundo, qualquer pessoa pode se escrever na Mostra durante o ano todo! As obras inscritas deverão ser enviadas através de link de compartilhamento para download ou por link de visualização (plataformas como Vimeo, Dropbox, GoogleDrive, YouTube ou similar), sendo que o link enviado deverá ficar disponível até 20 de novembro de 2017. Os curtas-metragens passarão a incorporar o acervo da Mostra, sob o compromisso de não serem divulgados e/ou utilizados para fins comerciais. Saiba mais aqui.

 

Confira a agenda cultural de Santos neste fim de semana

Por Secult Santos

‘Legião Sinfônico’
Um concerto popular. Para interpretar as canções imortalizadas na voz de Renato Russo, a sinfônica convidou o cubatense Anderson Borges, fã do grupo brasiliense e tem um tom de voz muito parecido com o do líder da banda. Domingo (20). 20h. Coliseu (R. Amador Bueno, 237). Ingressos a R$ 20.

3ª Mostra de Teatro Musical
Gilberto e Dora, diretores da Cia Acaso, são pressionados por um impaciente produtor para criar um musical em um curto período de tempo. Passam, então, a rever os melhores números de seu repertório e, em meio a este conflito, identificam algo que permeia todas as cenas: os desdobramentos do amor. Ingressos para o espetáculo da cia. Lúcia Millás à venda na escola (R. Minas Gerais, 84), com o preço de R$ 30 (até esta sexta). Ou no dia do espetáculo, na bilheteria do Guarany, a partir das 17h30, por R$ 60 (com meia-entrada para idosos, professores e estudantes).

‘Balé Jovem no País das Maravilhas’
Divididos em três elencos, cerca de 500 alunos do Balé Jovem de São Vicente se apresentam no espetáculo de encerramento de ano. Sessões na sexta-feira (18), às 18h30 e 21h; no sábado (19), às 18h e 20h30; e no domingo (20), às 17h e 19h30. Teatro Municipal Braz Cubas (Av. Pinheiro Machado, 48). Ingressos a R$ 60,00.

Patrulha Show – Aventuras Caninas
O espetáculo infantil traz a aventura dos cães mais bravos e animados do pedaço. Com a ajuda das crianças, eles solucionam o mistério do tesouro pirata. A peça tem o objetivo de transmitir mensagens aos pais e filhos. Sábado (19). 18h e 20h. Coliseu (R. Amador Bueno, 237). Ingressos de R$ 30 a R$ 60.

Festival de Comédia Caiçara
O humorista Rominho Braga traz o seu solo ‘Adivinha Quem É?’. Sexta-feira (18). 21h. Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100). Ingressos a R$ 20,00.

‘Zero Treze Fighting Gamers – Baixada Santista’
O encontro, voltado para os fãs de jogos de lutas de videogames, traz área free play, dicas para iniciantes e campeonato. Domingo (20), das 14h às 19h. Gibiteca Municipal Marcel Rodrigues Paes (Posto 5, Orla do Boqueirão). Gratuito.

Orquestra Instituto GPA
Beatles, Elvis Presley e Vivaldi compõem o repertório do próximo concerto da Orquestra do Instituto GPA, em Santos. Com regência de Daniel Misiuk e direção artística da professora Renata Jaffé. Sexta (18). 19h30. Coliseu (R. Amador Bueno, 237). Gratuito.

‘Vozes, violões e amigos’
As cantoras Débora Paiva e Giovana Razuk recebem o público para uma tarde com vários estilos e ritmos. Sábado (19), 17h. Pinacoteca Benedicto Calixto (Av. Bartolomeu de Gusmão, 15). Gratuito.

Chorinho no Aquário
O Choro & Afins convida a cantora Nadja Soares e apresenta repertório com clássicos do chorinho. Sábado (19). 19h às 20h30. Praça Luiz La Scala. Em caso de chuva, o show é cancelado. Gratuito.

‘A música é sempre uma boa ideia’
O show reúne voz, violão e percussão em uma apresentação que traz os músicos Andréa Gonzaga, Leonardo Vilar, Gilson Koch e Débora Paiva interpretando sucessos da MPB. Domingo (20). 17h. Pinacoteca (Av. Bartolomeu de Gusmão, 15). Gratuito.

Cine Arte – Posto 4
Dir.: Kleber Mendonça Filho. ‘Aquarius’ traz um clima de crescentes tensão e suspense ao falar de temas como especulação imobiliária, a vida na terceira idade e a preservação das memórias pessoais. A trama se desenvolve por meio de Clara (Sonia Braga). Jornalista aposentada, viúva e mãe de três adultos, é assediada a vender seu apartamento em Recife. Cine Arte Posto 4. Sessões às 16h, 18h30; 21h. Em cartaz até dia 23. De R$ 1,50 (meia) a R$ 3,00. Classificação: 12 anos. Nos dias 18 e 20, o local não terá a exibição das 21h.

Sessão Mulher
Parceira entre a Mostra das Minas e a Revista Sanatório Geral, o projeto ‘Sessão Mulher’ traz exibição do documentário ‘Tão Longe é Aqui’. O road movie acompanha a trajetória da diretora Eliza Capai em uma viagem à África e conta, por meio de uma carta destinada à sua filha no futuro, a história dos encontros com mulheres fortes de diferentes regiões africanas. O filme foi premiado em mostras como o ‘Festival do Rio’, em 2013; ‘Brasileine Suecia’, em 2014; e o ‘Festival Mercosul’, entre outros. Sexta-feira (18). 21h. Cine Arte Posto 4. Gratuito.

Programação Semana da Consciência Negra
Misturando ficção e realidade, o filme ‘Branco Sai, Preto Fica’ retrata o cotidiano e a visibilidade dos afrodescendentes no Brasil, com um ar de ficção científica. Dirigido por Adirley Queirós, o drama traz a história de dois homens, que tiveram as suas vidas marcadas após um tiroteio em um baile black, na periferia de Brasília. Uma terceira figura vem do futuro, destinada a investigar o que ocorreu e provar que a culpa é da sociedade repressiva. Domingo (20). 21h. Cine Arte Posto 4. Gratuito.

Musical no Miss
O projeto Musical no Miss continua com série ‘Dos Palcos para as Telas’, que exibe produções teatrais que viraram obras cinematográficas. Em ‘Gypsy – Em busca de um sonho’, o maior desejo de Mama Rose (Rosalind Russell) é ver suas filhas conquistarem o sucesso na Broadway. Ela deposita grande parte de suas esperanças na mais velha, June (Ann Jillian), mas não deixa de lado a pequena e tímida Louise (Natalie Wood), que é arrastada pela mãe por todo país em busca de notoriedade. Baseado na autobiografia de Gypsy Rose Lee. Após a exibição ocorre bate-papo com o maestro e diretor geral do Broadway Voices, Fernando Pompeu. Sexta-feira (18). 15h30. Museu da Imagem e do Som (Miss). Piso térreo do Centro de Cultura Patrícia Galvão. Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias. Gratuito.

Mostra das Minas
Iniciativa independente do Coletivo de Mulheres de Cinema e Audiovisual da Baixada Santista, o projeto Mostra das Minas tem o objetivo de incentivar a produção e manter viva a discussão sobre o protagonismo da mulher dentro do mercado cinematográfico e audiovisual. Realiza sessão com exibição dos curtas-metragens ‘Órion’, de Rodriane DL; ‘O Mais Barulhento Silêncio’, de Marcela Moreno; e ‘Edifício Tatuapé Mahal’, co-dirigido por Carolina Markowicz e Fernanda Salloum, além do documentário em média-metragem, ‘No Devagar Depressa dos Tempos’, de Eliza Capai. Durante a noite também ocorre o lançamento da 17ª edição da revista ‘Sanatório Geral’, que traz o tema ‘Mulher’ e tem textos de Kiusam de Oliveira, Vitória Rodrigues e Renata Carvalho. Na sessão ‘Cadeia Elétrica’, com Iasmin Alvareza, traz entrevista com a diretora Eliza Capai, além da estreia da ‘Interne-se’, seção com a pesquisadora Dani Marino em texto sobre as Mulheres e as HQ’s. Sábado (19). 20h. Museu da Imagem e do Som de Santos (Miss). Piso térreo do Centro de Cultura Patrícia Galvão. Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias. Gratuito.

Cinemateca de Santos
O espaço continua com a mostra em homenagem ao cineasta Héctor Babenco e projeta o filme ‘O Passado’. O drama desenvolve a história de Rímini (Gael García Bernal), um jovem tradutor que terminou recentemente um casamento de 12 anos com Sofia (Analía Couceyro), sua primeira namorada. A separação foi tranquila até Rímini iniciar um namoro com Vera (Moro Angheleri), uma modelo de 22 anos. Um dia Sofia tenta beijá-lo à força, o que faz com que Vera, que presenciou a cena, morra atropelada. Um ano depois, Rímini se casa com Carmen (Ana Celentano), sua parceira de tradução. O trauma da morte de Vera lhe rendeu uma amnésia misteriosa, que o faz se esquecer dos idiomas que precisa traduzir no trabalho. Ajudado por Carmen e pelo nascimento de seu filho, Lúcio, ele precisa se adaptar à sua nova realidade de marido dependente. Sábado (19). 20h. Rua Ministro Xavier de Toledo, 42, Campo Grande. Gratuito.

Primeiro clipe de Vinícius Silvino, ‘Olhos Amarelos’ abre crowdfunding de CD autoral

Por Lincoln Spada | Foto: Noise Coletivo

“Nesse velho armário ‘novo’, eu não vou entrar, / parcelado em dias de aflição”, canta o artista Vinícius Silvino em seu primeiro videoclipe. No funk groove ‘Olhos Amarelos’ o jovem da Baixada Santista retrata com toques autobiográficos sobre a homossexualidade, a sorologia e a auto-aceitação diante do duplo estigma social. O vídeo abre a campanha de financiamento coletivo de seu álbum autoral ‘Corpo’ em: catarse.me/corpo.

“Em algum momento acreditei que os 24 anos vividos tinham sido resumidos ao vírus do HIV e então comecei uma busca por mim, um caminho para recuperar minha identidade”, comenta o jovem estudante de piano e canto coral. A iniciativa teve como impulso o seu diagnóstico enquanto soropositivo, há um ano. “Despertei para o preconceito e silêncio com que o nosso país lida com este assunto e a invisibilidade social dada às pessoas que vivem com HIV/Aids”.

Durante esse período, externou sua visão de mundo em letras e melodias, a ponto de não creditar a obra como um disco sobre sua condição, mas no contexto pós-condição. O ‘Corpo’ é sustentado por três temas, a coluna (símbolo do Criacionismo de gêneros, as faixas abordam sobre orientação sexual), a bala (em alusão à violência urbana) e o vírus (tanto efeitos biológicos, quanto o estigma social).

Com objetivo de alcançar R$ 16 mil neste bimestre. A produção musical do disco ficará a cargo de Theo Cancello que buscará uma mistura de rítmicos brasileiros, puxados pelo bom e velho samba, flertando com a MPB e o Funk. Já a cantora Lua Marina assina a preparação vocal. O ilustrador Marcos Haas e a produtora audiovisual Noise Coletivo colaboram na arte gráfica e nos vídeos do crowdfunding. Saiba mais em: catarse.me/corpo.

 

Violinista e compositor Bruno Conde lança crowdfunding do álbum ‘Confins’

Por Márcia Abbud | Agregarte Produções

O violinista e compositor Bruno Conde lança campanha de financiamento coletivo para o CD ‘Confins’. “Optei por um financimento coletivo porque considerando as circunstâncias de um artista autoral e independente hoje em dia, um ‘crowdfunding’ é a única maneira possível de viabilizar um disco e tudo que envolve no processo”, explica o cantor. Conheça aqui a campanha.

A razão também é pelo sucesso anterior com o crowdfunding a partir do projeto Ekoa, com os amigos Kleber Serrado e Theo Cancello. Para o atual projeto, que prevê arrecadação dos ensaios até a prensagem dos CDs, os colaboradores poderão ganhar diferentes recompensas: MP3s, ingressos para shows, convites para audições, aulas de violões, entre outros. O investimento total é de R$ 9,5 mil.

As canções nasceram no violão, ganhando melodias e depois palavras. Gisele Afeche, Bruno Kohl, Tennyson, Larissa Finocchiaro, Lucas Brolese, Kleber Serrado e André Fernandes são parceiros de composição neste trabalho. Os arranjos serão minimalistas, priorizando a dinâmica sonora e as histórias das canções.

Serão convidados para o projeto, os músicos Vitor Ramil, Ladston do Nascimento, Renato Motha, Mateus Sartori, Pablo Rauaz, Bruna Moraes, Trio Sinhá Flor, Kleber Serrado, Tennyson, Guilherme Neves e André Fernandes. Além dos instrumentistas: Nailor Proveta (sopro),Theo Cancello (piano), Felipe Romano (percussão) e André Mehmari, entre outros.

Livro sobre #EuEmpregadaDoméstica é tema de crowdfunding de Preta Rara

Por Equipe Preta Rara

Sou Joyce Fernandes, a rapper Preta Rara, e, em 19 de julho deste ano, relatei no Facebook alguns abusos sofridos na época em que eu era empregada doméstica. Em menos de uma hora após a publicação, recebi uma enxurrada de mensagens e criei a página #EuEmpregadaDoméstica, que ultrapassa 130 mil seguidores, para divulgar os mais diversos tipos de humilhações e agressões – física, moral e psicológica – sofridas cotidianamente por muitas empregadas domésticas no país.

Chegou a hora da nossa voz ecoar e de reunir esforços para que sejam publicados alguns dos mais de 4 mil relatos recebidos, em formato de um livro autêntico, escrito pelas domésticas como protagonistas de suas próprias histórias. Caso a campanha ultrapasse a meta inicial, será gravado um documentário inédito, para dar rosto e vozes aos relatos, até então anônimos. Contribua, divulgue, compartilhe e espalhe pra geral, conheça a nossa campanha!

O livro

A trajetória da rapper Preta Rara será contada por meio de uma narrativa desenvolvida em dois planos de ação, espaço e tempo: vozes por detrás dos relatos recebidos ilustram o plano da ‘realidade’, em paralelo ao plano do universo psicológico dos desejos e pensamentos. A narrativa contará quem são essas mulheres e como lidam com as suas relações sociais e familiares.

Em determinados momentos da história não será possível distinguir se a história pessoal da rapper é a de sua própria mãe, ou de outras personagens ilustradas pelos traços da grafiteira Nenê Surreal. O universo psicológico dos desejos e pensamentos das personagens serão criados pela artista plástica Ana Maria Santana, cujo desenho possui influência cubista abrasileirada pela arte naif.

O documentário

Já o documentário será a voz de algumas mulheres que enviaram seus relatos para o e-mail da página. Também será registrado como foi o processo de construção do projeto ‘Eu Empregada Doméstica’ e sua rápida repercussão nacional e internacional.

A voz de cerca de 6 milhões de brasileiras ecoará e será ouvida, talvez pela primeira vez na história recente do país, que abriga a segunda maior população de descendentes de africanos em diáspora, porém alimenta um traço enraizado em sua cultura que vitima e condena milhões de brasileiros: o racismo cotidiano ‘naturalizado’ e institucionalizado em praticamente todas as esferas das relações sociais brasileiras.

Preta Rara

A santista Joyce Fernandes (31 anos) trabalhou como empregada doméstica durante sete anos e se formou em História após frequentar a Educafro. Virou turbanista, dona de marca de roupas e uma mulher capaz de reunir milhares de admiradores nas redes sociais. Começou a cantar na igreja aos 12 anos e, em 2013, já como Preta Rara dividiu o palco com o rapper Criolo, e a partir de então, foi convidada por outros artistas, como BNegão, DiMelo, Nanny Soul.

Como militante, participa de grupos de discussões sobre feminismo, cultura negra e gordofobia. Em sua trajetória recebeu premiações, com destaque para o Prêmio Jovens Pensadores (Governo Estadual), a Medalha Theodosina Ribeiro (ALESP), Troféu Zumbi dos Palmares (Conselho da Comunidade Negra de Santos).

Gabriela Pagliuca media oficina gratuita no Coletivo Novo Paraíso

Por Gabriela Pagliuca

O Coletivo Novo Paraíso no próximo sábado (dia 22), às 10h, realizará uma oficina de gerenciamento de questões pessoais. A atividade é gratuita e as inscrições podem ser feitas aqui: https://goo.gl/7Z9p02. A sede do coletivo é Faixa do Oleoduto, 6, Pinhal do Miranda, em Cubatão.

O Sistema de Gerenciamento de Questões Pessoais é uma metodologia que proporciona uma visão prática e direta sobre a resolução de problemas com foco nas soluções. A oficina visa capacitar a/o participante para utilizar o Sistema sempre que precisar superar um desafio em busca de ser a melhor versão de si mesma/o.

Desenvolvendo conceitos sobre autoconhecimento, maturidade e estabilidade emocional, superação de desafios, otimização de recursos pessoais e meditação para expandir o paradigma da abundância. Após a atividade, haverá um lanche colaborativo.

Gabriela Pagliuca

a1A mediação será de Gabriela Pagliuca. Ela é escritora e atua como facilitadora de processos de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Formada em comunicação social, criou o Sistema de Gerenciamento de Questões Pessoais a partir da metodologia de resolução de questões corporativas para difundir o desenvolvimento pessoal.