Arquivo da tag: o coletivo

Câmeras e produtos feitos à mão são atrações do Coletivo dia 6

Por Mariela Gonçalves | Foto: Tatiana Latraia

Dia 6 de agosto, das 15h às 21h, tem O Coletivo – Especial de Dia dos Pais com atrações para toda a família, além, é claro, de produtos vendidos por quem produz em pequena escala e com muito amor. O evento será no Kawabanga Bar (Av. Siqueira Campos, 431/Santos).

Entre os 22 expositores, vai ter a comidinha vegana da chef Dressa Dias, da Doce Jasmin para os adeptos da dieta e para os curiosos saborearem. As louças pintadas à mão pela designer paulistana Alê Abdala estreiam no Coletivo e prometem deixar muita gente de boca aberta com tanta beleza.

Outro destaque é o lançamento das lancheiras térmicas da marca Na Casa Dela Tinha, da designer Aline Tolotti: todas têm porta-talheres e guardanapo feitos de tecido com estampas exclusivas, perfeitos para quem leva sua comida para onde vai e não perde a sustentabilidade de vista.

Papais Dj’s e fotografia analógica

Esta edição terá músicas selecionadas por quatro papais e que prometem ser muito animadas e ecléticas. Outra atração é a exposição de câmeras fotográficas analógicas do acervo dos fotógrafos Fabiano Ignácio e Luiz Arthur Brito da Silveira, que também vão explicar como funciona a revelação de filmes fotográficos. Um prato cheio para os fãs da arte de tirar fotos.

Livro Livre: encontre um livro e ganhe surpresas

O incentivo a leitura, marca registrada do projeto O Coletivo, ganha um novo braço neste mês. Livros serão deixados em locais estratégicos da cidade com um convite do evento e uma surpresa dentro de cada um deles. As pistas sobre os locais onde os títulos serão colocados vão aparecer no Instagram Stories (@coletivoprojeto) e na fanpage do evento no Facebook (facebook.com/ocoletivoprojeto).

Sorteios e ação social

Como sempre rola, cestas com produtos dos expositores da edição do dia 6 serão sorteadas entre os visitantes que comprarem qualquer valor​​​​​​​​​​​​​​​​. Já a ação social deste mês vai arrecadar alimentos para a ONG Grupo Amigos Solidários, que leva refeições para pessoas em situação de rua. Todos podem contribuir levando 1 pacote de arroz, feijão ou macarrão para O Coletivo deste domingo.

>> Expositores e seus segmentos:
Alê Abdala – peças de louça pintadas à mão
Atelier Adriana Fonseca – roupas femininas
Bela Vicky – difusores de ambiente e velas perfumadas
Brigaderia Becker – brigadeiros gourmet
Cake Casamenteiro – empadas e salgados
Coleção Andança – quadros e pôsteres
Cookies Delí – cookies recheados e café
Doce Jasmin – doces e salgados veganos e sem glúten
Dona Frida – roupas femininas
Dona Lolla – objetos decorativos de MDF
Free Design – arte em mosaico
Filhos de Gaia – sabonetes artesanais e veganos
Jaya – acessórios de macramê
Josemar Móveis – luminárias e objetos utilitários de marcenaria
Lanai – roupas e acessórios femininos
Lisa Arte Colorida – objetos e acessórios de crochê
Lothe – acessórios femininos feitos à mão
Marias – brincos, colares e acessórios criativos
Na Casa Dela Tinha – bolsa, lancheiras, clutches e acessórios colecionáveis
Nós – plant hangers e prateleiras de macramê
Santo Cake – cheesecakes de diversos sabores
Vis – joias unissex de pedras naturais e carteiras de couro

 

Mamães Dj’s vão tomar conta da próxima edição do O Coletivo

Por Mariela Gonçalves

Em mais uma edição cheia de gente criativa e talentosa, o projeto O Coletivo acontece no dia 7 de maio, das 16 às 22 horas, no Kawabanga Snack & Bar (Av. Siqueira Campos, 431/Santos) com muitas opções de presentes para mamães. Capas de livros, roupas, bijuterias, peças de maxicrochê, plant hangers de macramê: estes são apenas alguns dos produtos feitos à mão que vão estar à venda no domingo que antecede o dia das mães. Além das peças exclusivas, originais e feitas para quem é adepto do consumo consciente, o evento vai ainda trazer surpresas e atrações especiais para comemorar a data.

Nesta edição, o som ficará a cargo de quatro mulheres que, além de mães incríveis, se destacam no que fazem profissionalmente: Anna Carla, advogada e autora do blog Caderno de Cabeceira; a pesquisadora de história em quadrinhos e integrante do Observatório de Quadrinhos da ECA/USP Dani Marino; a jornalista da AT Revista Adriana Martins e, para fechar o line up, a também jornalista e empreendedora, Flávia Saad, do Juicy Santos.

E, para quem gosta de contribuir com causas legais tem novidade: O Coletivo está com uma ação em prol do Galp (Grupo Amigo do Lar Pobre) e vai arrecadar óleo de cozinha que, depois do evento será doado para a entidade – pode ser de soja, canola, girassol ou qualquer outro tipo vegetal. Vai ter também a já tradicional troca de livros e o sorteio de cestas para quem comprar com algum dos 21 expositores.

Lista de expositores e seus segmentos:
Alessandra Spinelli – ilustração
Allah La Ô – moda feminina
Alquimia Botânica – cosmética natural
Aroma de Hera – aromaterapia
Bandoh – moda feminina
Brigaderia Becker – brigadeiros gourmet
Dona Lolla – placas de mdf
Entrelaços – maxicrochê
Interior Bijuterias – acessórios e bijuterias
Jã – pães sem glúten, geleias e shutneys
Jaya – japamalas e peças de macramê
Mirá – ilustração e camisetas masculinas e femininas
Musa Serena – moda
Na Casa Dela Tinha – acessórios colecionáveis (foto)
Nós – plant hangers e estantes de macramê
Otto Karl Atelier – peças de madeira reutilizada
Papel do Quintal – papéis reciclados especiais e encadernação
Papelaria – caixas e peças para organização
Quituteria da Fafá – quiches, sanduíches naturais e tortas sem glúten
Soul Ser – camisetas femininas com malha de reuso e tingimento natural
Sweet Macaron – macarons

Projeto O Coletivo reúne 18 expositores neste domingo no Kawabanga

Por Karina Batista

O próximo domingo (9) será de muitas atrações para a criançada na 7ª edição do projeto O Coletivo. O encontro vai rolar das 15 às 21 horas, no Kawabanga Snack & Bar (Av. Siqueira Campos, 431). A entrada é franca.

A turminha do grupo Hora de Brincar é presença confirmada com pintura de rosto, escultura de balões e outras brincadeiras, tudo de graça. Uma boa pedida para papais e mamães é experimentar os petiscos e cervejas artesanais da casa, ouvir a boa música do DJ Renato Costa e bater um papo com os expositores. Quem passar por lá terá a oportunidade de prestigiar 18 empreendedores das áreas de arte e decoração, infantil, gastronomia, moda e acessórios, papelaria personalizada e pet.

A exemplo das edições anteriores haverá troca de livros — é só levar um exemplar em bom estado e escolher outro título para levar para casa — e uma ação solidária em prol da Casa Vó Benedita, que abriga crianças e adolescentes na Zona Noroeste, em Santos. Quem doar R$ 10 para a instituição concorrerá a uma cesta lindíssima com produtos dos empreendedores que participam desta edição.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Participam desta edição: D’Cor Store, Dona Lolla Artesanato, Lia Junqueira Cerâmica e Nós Plant Hangers; Apiário Palhal (mel e derivados), Aroma de Hera (óleos essenciais), Gatolino Bebedouros (acessórios para pet) e Mafê Encadernações Artesanais; Cookies Delí, Dona Aurora Brigaderia e Nhac! Doces Salgados; Cabanas & Pijamas e Loja Picocó; Ancorados Acessórios, Conceito Arte 2, MrN Bolsas Artesanais, Na Casa Dela Tinha e Pé de Louro.

O Coletivo é um projeto criado por designers, empreendedores e artesãos que possuem uma característica em comum: desenvolver produtos autorais exclusivos com preço justo. O grupo trabalha de forma colaborativa e cada um contribui para o crescimento do outro, gerando uma união de sucesso.

 

Confira a programação do 4º Festival de Artes Cênicas de SV

No período de 1º a 15 de novembro de 2015, acontecerá o 4º Festival de Artes Cênicas de São Vicente, ocupando pontos culturais e espaços alternativos da Cidade. O evento tem como objetivo valorizar a cultura, incentivar o “fazer teatral”, auxiliar na formação de jovens e adultos em busca de novos segmentos e linguagens artísticas promovendo com isso um intercâmbio entre grupos da cidade e região.

O 4º Festival de Artes Cênicas é uma realização do “Movimento Amigos do Teatro”, composto por atores, diretores e representantes de grupos teatrais da cidade e conta com o apoio institucional do Conselho Municipal de Políticas Culturais e Secretaria Municipal de Cultura. As apresentações serão gratuitas e os ingressos trocados por alimentos que serão doadas a entidades assistenciais da cidade. Confira a programação completa:

Este slideshow necessita de JavaScript.

>> Dia 1º – 19h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Teatro ‘Quando a caravana passa’, do Teatro JN (São Vicente)
>> Dia 1º – 21h – Início na Praça Tom Jobim – Teatro ‘Projeto Bispo – Tratados como bicho, comportam-se como um’, do O Coletivo (Santos)
>> Dia 2 – 18h – CampSV – Teatro ‘O Despertar da Juventude’, do Grupo Cetla (Peruíbe)
>> Dia 2 – 19h – CampSV – Teatro ‘Até que a Morte nos Separe’, do Grupo Cetla (Peruíbe)
>> Dia 5 – 20h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Teatro ‘Manifesto Artaud’, do Teatro Genoma (Praia Grande)
>> Dia 6 – 20h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Teatro ‘Passagem das Horas’, da Cia Teatral Vinho & Alma (Santos)
>> Dia 7 – 17h – CampSV – Teatro ‘Era uma Vez’, do Coletivo Verum (Santos)
>> Dia 7 – 20h – ETEC Drª. Ruth Cardoso – Teatro ‘Marulhos’, da Cia Teatral Marulhos (Santos)
>> Dia 7 – 21h – ETEC Drª. Ruth Cardoso – Coreografia ‘Procurados’, da Cia de Dança Fator (São Vicente)
>> Dia 7 – 21h30 – Praça Coronel José Lopes – Teatro ‘Blitz – O Império que Nunca Dorme’, da Trupe Olho da Rua (Santos)
>> Dia 8 – 13h – Praça Coronel José Lopes – Teatro ‘Sorrio Maravilha’, do Grupo Teatral As Lucianas (Rio de Janeiro)
>> Dia 8 – 19h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Cenas ‘Lampião e Maria Bonita no Reino Divino’, do Ribert Curso de Teatro da Adesaf (São Vicente), ‘Liberdade, Liberdade’, do Grupo Alta Tensão (São Vicente), ‘A Revolta dos Brinquedos’, do Grupo Verteatro (São Vicente)
>> Dia 8 – 20h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Teatro ‘Rua da Amargura’, do Coletivo de Artes (São Vicente)
>> Dia 13 – 20h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Cena ‘Quando as Máquinas Param’, da Cia Pixotes e Quixotes (São Vicente)
>> Dia 14 – 19h – ETEC Drª. Ruth Cardoso – Coreografias ‘Navio Negreiro’, da E.E. Profª. Yolanda Conte (São Vicente) e ‘Africa Songs’, da Cia de Dança Lailton Reis (São Vicente)
>> Dia 14 – 20h – ETEC Drª. Ruth Cardoso – Teatro ‘A Tarde ardia com Cem Sóis’, do Grupo Orgone (Santos)
>> Dia 14 – 21h – ETEC Drª. Ruth Cardoso – Teatro ‘Um Novo Despertar’, da Cia Dons de Teatro Musical (São Vicente)
>> Dia 15 – 18h – CampSV – Teatro ‘Cala Boca Já Morreu – Parte 1’, do Núcleo de Artes Cênicas do CampSV (São Vicente)
>> Dia 15 – 20h – CampSV – Teatro ‘Cala Boca Já Morreu – Parte 2’, do Núcleo de Artes Cênicas do CampSV (São Vicente)
>> Dia 15 – 20h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Teatro ‘Aquele que diz sim, aquele que diz não’, da Cia Indesejáveis do Telhado (São Vicente)
>> Dia 15 – 21h – Parque Cultural Vila de São Vicente – Teatro ‘Choro de Saudade’, da Cia Héterus de Teatro (São Vicente)

*Alessandro Cruz

 

Confira a programação do FESTA 57 – Festival Santista de Teatro

Com o tema ‘Fomento’, o mais antigo festival de artes cênicas em atividade do Brasil, o FESTA 57 – Festival Santista de Teatro abre com o espetáculo gratuito da Caravana Tonteria com a atriz e cantora Letícia Sabatella ‘De Volta ao Centro’. A caravana é o grupo formado por Paulo Braga (piano), Fernando Alves Pinto (serrote, trompete, violão e voz) e Zéli Silva (contra-baixo). A apresentação será no dia 1º de setembro, às 20 horas, no teatro do Sesc, onde as entradas podem ser retiradas a partir das 12 horas do mesmo dia (Rua Conselheiro Ribas, 136).

Contando com músicos-atores, o show carrega um elemento dramático em suas interpretações, incluindo pequenas cenas entre as canções autorais e de Chico Buarque, Kurt Weill, Duke Ellington e Colle Porter. As melodias vão de jazz ao flamenco, do tango à rumba, reforçando um ambiente de cabaré itinerante que roda pelo país.

Ativista ambiental e pelas causas indígenas, Letícia Sabatella inicia a programação do FESTA 57, que este ano, convide o público a refletir sobre a importância de uma lei de iniciativa popular para um Programa de Fomento ao Teatro para a Cidade de Santos, seguindo o modelo da capital paulista.

A iniciativa inspiradora possibilita a criação e manutenção de grupos com trabalhos continuados de pesquisa e produção artística e, ao mesmo tempo, melhorando o acesso da população ao teatro. Além das mostras nacional, estadual e regional, o festival também mantém shows, apresentações musicais, audiovisual, intervenções cênicas e rodas de conversa. Confira a programação em: fb.com/festivalsantistadeteatro e movimentoteatraldabaixadasantista.blogspot.com.

Programação

Dia 1º (terça-feira)
20h – Sesc-Santos (R. Cons. Ribas, 136) – Espetáculo musical ‘De Volta ao Centro’, com Letícia Sabatella e Caravana Tonteria;

Dia 2 (quarta-feira)
19h – Teatro Guarany (Praça dos Andradas) – Leitura dramática ‘A Condessa, a Cigana e o Amolador de Facas’ e curta-metragem ‘Rosinha Sinhá’ da TEP/Unisanta (Santos);
20h – Praça dos Andradas – Teatro ‘Circo do Só Eu’, do Barracão Teatro (Campinas);
23h – Vila do Teatro (Praça dos Andradas) – Show ‘O Baile é Balançante’, de Digo Maransaldi e Banda;

Dia 3 (quinta-feira)
0118h – Vila do Teatro – Teatro ‘Ispinho e Fulô de Patativa’, da Cia Teatral Carcarah Voador (Santos);
20h – Teatro Guarany – Teatro ‘Maria que Virou Jonas ou a Força da Imaginação’, da Cia
Livre (São Paulo);
22h – Quadra da Escola de Samba União Imperial – Teatro ‘Nas Quebradas do Mundaréu’, da Oficina do Imaginário e Dino Filmes (Santos);
23h – Vila do Teatro – Show ‘Visões de Severino’ (Ferraz de Vasconcelos);

Dia 4 (sexta-feira)
0416h – Rua do Comércio – Teatro ‘Hygiene’, do Grupo XIX de Teatro (São Paulo);
20h – Teatro Guarany – Teatro ‘Nepenthes’, do Projeto Antrópicos (Santos);
23h – Vila do Teatro – Festa do Coletivo Futuráfrica (Santos)
0h – Praça dos Andradas – Teatro ‘Blitz’, da Trupe Olho da Rua (Santos);

Dia 5 (sábado)
0515h30 – Fonte do Sapo – Teatro ‘Meu Quintal é Maior que o Mundo’, do Teatro Wídia;
16h30 – Fonte do Sapo – Teatro ‘A Moça da Janela’, da Animalenda (Itanhaém);
18h – Fonte do Sapo – Teatro ‘Baile do Anastácio’, do Oigalê (Rio Grande do Sul);
21h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘A História dos Ursos Pandas’, do Teatro da Vila Velha (Bahia);
22h – Vila do Teatro – Batalha Musical sobre Fomento à Cultura Local, do grupo Muito Prazer, Meu Nome é Hip Hop (Santos);

Dia 6 (domingo)
0218h – Parque Roberto Mário Santini – Teatro ‘Rua da Amargura’, do Coletivo de Artes de São Vicente;
19h – Parque Roberto Mário Santini – Teatro ‘A Exceção e a Regra’, da Cia Estável de Teatro (São Paulo);
21h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘Projeto Bispo’, do O Coletivo (Santos);
23h – Vila do Teatro – Apresentação do Diego Alencikas e Banda;

Dia 7 (segunda-feira)
16h – Escadaria do Monte Serrat – Teatro ‘Os Desclassificados’, de Os Panthanas (Santos);
20h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘Diário de uma Revolucionária’, da Cia do Feijão (São Paulo);
21h30 – Praça dos Andradas – Teatro ‘Azar do Valdemar’, da Cia dos Inventivos (São Paulo);
23h – Vila do Teatro – Apresentação de The Matuts e Aparícius Band;

Dia 8 (terça-feira)
16h – Praça do Posto 2 – Teatro ‘Essa Partida Não Será Televisionada’, da Cia do Elefante/Tescom (Santos);
19h – Vila do Teatro – Teatro ‘Barraco Número 9’, da Oficina do Imaginário (Santos);
20h – Casa da Frontaria Azulejada – Teatro ‘{Entre}’, do Coletivo Negro (São Paulo);
21h30 – Vila do Teatro – Roda de conversa “Da vida ao palco: racismo e blackface no Brasil da democracia racial”;
23h – Vila do Teatro – Festa do Riscado com o DJ Silvio Luiz e Sandro Bueno;

Dia 9 (quarta-feira)
0320h – Teatro Guarany – Teatro ‘Os Sapatos que Deixei pelo Caminho’, do Teatro do Kaos (Cubatão);
21h – Praça dos Andradas – Teatro ‘Júlia’, do Cirquinho do Revirado (Santa Catarina);
23h – Vila do Teatro – Apresentação de Piratas do Maxixe e intervenções de ‘Zona in Progress 2’, de O Coletivo (Santos).

Histórico do Festival

O FESTA 57 – Festival Santista de Teatro é o festival de artes cênicas mais antigo em atividade do Brasil, reconhecido pelo Governo Federal com a Ordem do Mérito da Cultura. Criado em 1958 por Patrícia Galvão, a Pagu, o evento já despontou nomes como os dramaturgos Plínio Marcos e Carlos Soffredini, além de reunir personalidades como Regina Duarte, Paulo Goulart, Nicette Bruno, Herson Capri, Bete Mendes, Leona Cavalli, Cleyde Yáconis, Ney Latorraca, Sérgio Mamberti, Nuno Leal Maia, Alexandre Borges, Jandira Martini e Rubens Ewald Filho.

FESTA 57

O festival é uma realização do Movimento Teatral da Baixada Santista e da Secretaria de Estado da Cultura por meio do ProAC – Programa de Ação Cultural. O evento com apoio da Prefeitura de Santos e do Sesc além de parceria com a Cooperativa Paulista de Teatro, Movimento de Teatro de Rua de São Paulo, Rede Brasileira de Teatro de Rua, Vila do Teatro, Diário do Litoral, Escola de Samba União Imperial, Movimento Mães de Maio, Fundação Arquivo e Memória de Santos e Curta Santos.

*Lincoln Spada e Rafaella Martinez

‘Projeto Bispo’ é premiado no 1º Festival de Teatro de Barbacena

O espetáculo santista ‘Projeto Bispo – Tratados como bicho, comportam-se como um’ foi a principal montagem do 1º Festival Nacional de Teatro de Barbacena, em Minas Gerais. O grupo O Coletivo foi contemplado com os prêmios de melhor espetáculo, melhor cenografia, melhor maquiagem, melhor ator com Wendell Medeiros, melhor atriz com Renata Carvalho e melhor direção com Kadu Veríssimo.

A trama é uma colagem de experiências sobre moradores em situação de rua com a trajetória artística e de vida de Arthur Bispo do Rosário, artista plástico notório no cenário brasileiro com centenas de obras criadas em sucata: de estandartes até objetos domésticos. No entanto, em vida, foi duramente marginalizado a ponto de passar décadas internado no Hospício Pedro 2º ou Hospício da Praia Vermelha.

02O drama das casas de internação e a luta antimanicomial é também aliado a um dos fatos mais tristes do próprio município mineiro. É que lá ocorreu a permanência do Hospital Colônia, instituição semelhante onde mais de 60 mil pessoas perderam a vida pelas condições insalubres e tratamentos de lobotomia e psiquiátricos condenáveis. Tais dramas foram retratados no livro-reportagem ‘Holocausto Brasileiro’, que ajudou na composição do teatro de rua premiado.

Temporada em Santos

A temporada do ‘Projeto Bispo – Tratados como bicho, comportam-se como um’ prossegue em julho a partir do dia 13. A peça percorre as ruas do centro com seus personagens cheios de paixões, loucura e incompreensão. A direção é de Kadu Veríssimo. Saída da Praça Mauá e término na Casa da Frontaria Azulejada. Rua do Comércio, 96, Centro. Classificação: 18 anos. 20h. Ingressos: Uma lata de leite em pó ou um quilo de alimento não perecível. Todas as segundas-feiras de julho.

*Lincoln Spada

 

Após festival mineiro, ‘Projeto Bispo’ realiza temporadas em Santos

Em junho, o Coletivo participa com o espetáculo ‘Projeto Bispo’ no 1º Festival Nacional de Teatro de Barbacena de Minas Gerais. A apresentação na cidade mineira é muito especial para o grupo, que trabalha com teatro performático e com a ressignificação de espaços, pois lá ficava o antigo Hospital Colônia de Barbacena, hoje Museu da Loucura, cujas histórias de abuso e torturas já relatadas em livros como “Holocausto Brasileiro” da jornalista Daniela Arbex e em documentários como “Em nome da razão” do cineasta Helvécio Ratton que inspiraram a criação do espetáculo.

01O grupo santista também embala a partir deste mês em novas temporadas de apresentações do teatro de rua que percorre as vias do Centro da Cidade. As temporadas gratuitas tem parceria da Fundação Arquivo e Memória de Santos e da Prefeitura Municipal de Santos, através da Secretaria Municipal de Cultura em prol da Fundo Social de Solidariedade de Santos, pois a entrada será um lata de leite em pó ou um quilo de alimento não perecível revertido ao Fundo. As sessões serão todas às segundas-feiras a partir de 8 de junho e até o fim de julho, às 20h, com início na Praça Mauá.

O espetáculo

“Tratados como bicho, comportam-se como um”, espetáculo que traça um panorama que conduz a uma imersão na perspectiva do excluído e um mergulho no labirinto do artista. Onde o passado e o presente se fundem, assim como elementos da religião, do simbólico e questões sociais que se apresentam como um pano de fundo onde a realidade e a ficção se misturam. O enredo utiliza a dicotomia loucura/liberdade, num sentido metafórico. A impermanência das coisas se estabelece como a própria estrutura dramatúrgica, em que os atores continuamente desconstroem uma realidade cênica para construir outra, criando uma atmosfera dual entre loucura e prisão, arte e liberdade de expressão.

02O ponto de partida é a Praça Mauá, dali o público será encaminhado e convidado a percorrer um percurso onde os personagens em novas e diferentes situações irão ressignificar vários trechos e ruas do Centro santista até entrar na Casa de Frontaria Azulejada, onde acontece o 2º ato da peça. Em cada rua, cada esquina, o espectador pode se deparar com personagens que estão todos os dias nas ruas e que muitas vezes passam desapercebidos por nossos olhares treinados a ignorar tudo o que não nos convém.

A direção é de Kadu Veríssimo e o elenco desta temporada é formado por Junior Brassalotti, Juliana Sucila, Renata Carvalho, Rafael de Souza, Wendell Medeiros, Malvina Costa, Sérgio Bratz, Zécarlos Gomes e Thalita Nascimento.

*Junior Brassalotti