Arquivo da categoria: Editais

6º Facult – Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes tem 82 inscritos

Por Secult Santos

O 6º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos tem 82 trabalhos inscritos, que serão submetidos à análise de duas comissões, que examinarão a documentação obrigatória entregue pelos proponentes e a relevância, valor cultural e metodologia dos projetos. Do total de inscritos, 30 trabalhos serão contemplados, cada um com verba municipal de R$ 12 mil, totalizando R$ 360 mil de aporte do Fundo de Assistência à Cultura (Facult) no incentivo à produção cultural independente na Cidade.

O concurso reúne propostas nos segmentos de artes plásticas, artes gráficas, artesanato, cultura integrada e popular, circo, artes de rua, dança, música, teatro, cinema, videografia, fotografia, literatura, patrimônio cultural e natural, infraestrutura cultural ou outros segmentos aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura de Santos.

O resultado das fases de conferência de documentação e análise do conteúdo será publicado no Diário Oficial de Santos, conforme prazos de avaliação e recursais previstos no decreto 7.628, de dezembro de 2016, disponível na página egov.santos.sp.gov.br/legis/. Mais informações pelo tel. 3226-8000.

 

6º Facult amplia o período de inscrições em novas três semanas

Por Lincoln Spada / Foto: ‘Tempos Modernos’, divulgação.

Produtores culturais e fazedores de arte terão um maior período para se inscreverem no 6º edital do Fundo de Assistência à Cultura de Santos, popularmente 6º Facult. Previsto para encerrar esta etapa nesta quinta-feira (dia 9), o concurso municipal terá o prazo prolongado para receber projetos até o dia 30 de março. É certo que a Secretaria da Cultura de Santos ainda nesta semana publicará a prorrogação via decreto no Diário Oficial.

Com as mudanças do edital, a Secult entende que a ampliação da fase de inscrições permitirá que os proponentes tenham mais tempo de adequar seus projetos. Ao mesmo tempo, possibilita uma maior adesão de inscritos, já que esta foi a primeira edição que ocorreu inscrições em período simultâneo com os preparativos e festejos do Carnaval – que conta com o envolvimento de muitos do segmento artístico. Não se trata de um adiamento isolado: em 2010, o 1º Facult também aumentou as datas desta fase.

>> Baixe aqui o edital na íntegra
>> Conheça o observatório do Facult

A iniciativa contemplará 30 projetos, cada um com verba municipal de R$ 12 mil, totalizando R$ 360 mil de aporte do Facult. As inscrições podem ser realizadas nos dias úteis, das 9h às 12h e das 14h às 17h. O projeto a ser inscrito deverá ser entregue pessoalmente ou encaminhado por via postal, com aviso de recebimento (A.R) ou Sedex, para a Secretaria de Cultura – Facult, localizada na Av. Senador Pinheiro Machado, 48, térreo – Conselho Municipal de Cultura, no bairro Vila Mathias. O CEP é 11075-907.

O projeto deve ser entregue ou enviado dentro de uma ‘embalagem única’ (envelope, pacote ou caixa) com a identificação ‘Edital Facult nº 6’, contendo em seu interior dois envelopes, classificados como nº 1, com a documentação exigida, e nº 2, contendo o projeto. Os cadastros entregues pessoalmente deverão estar acompanhados de quatro cópias da ficha de inscrição do lado de fora da embalagem única.

No caso de projetos enviados por via postal, as quatro cópias deverão estar dentro da embalagem. Uma cópia será retida pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult), as outras duas anexadas aos envelopes nº 1 e nº 2, e a outra via de inscrição protocolada e devolvida ao proponente. Mais informações podem ser obtidas na Secult ou pelo tel. 3226-8000.

Quem pode participar

Podem concorrer propostas que contemplem os segmentos artísticos das artes plásticas, artes gráficas, artesanato, cultura integrada e popular, circo, artes de rua, dança, música, teatro, cinema, videografia, fotografia, literatura, patrimônio cultural e natural, infraestrutura cultural ou outros segmentos aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura de Santos.

Somente poderão se habilitar ao concurso pessoas físicas ou jurídicas de direito privado, de natureza cultural e sem fins lucrativos, domiciliadas ou sediadas em Santos. Cada proponente poderá se inscrever em apenas um projeto, com uma única função artística. Constatada a participação do mesmo proponente em mais de um projeto cultural, ocupando outras funções do quadro artístico, será considerado para efeito de classificação final, o projeto com a nota mais baixa.

Conheça os 13 projetos contemplados pelo Circuito LabxS

Por Instituto ProComum

O júri convocado para avaliar os projetos da chamada pública do Circuito LABxS (Lab Santista) selecionou 13 das 127 propostas de atividades e ações visando o bem comum, a inovação e a cidadania na região. Para Rodrigo Savazoni, diretor-executivo, do Instituto Procomum, o resultado contempla a diversidade da região. “Estamos satisfeitos porque contemplamos projetos da maioria das cidades, inclusive nas aldeias indígenas, e também com promotores mulheres e negros”.

Ele também lembra que, mesmo dentro de Santos – cidade que reúne a maioria dos projetos selecionados – o território contemplado é abrangente. “Contemplamos projetos de regiões menos favorecidas como morros e divisas”, disse. Inicialmente seriam 12 os projetos contemplados, mas o júri optou por premiar uma 13ª proposta, garantindo assim que um projeto de Praia Grande fosse contemplado.

Todos os membros do júri leram todos os projetos e fizeram a avaliação com notas de 0 a 10. Após isso, a coordenação trabalhou na somatória, com total máximo de 50 pontos. Assim, chegou-se a uma lista inicial de projetos contemplados que foi revista e reavaliada pelo júri em conjunto, para evitar possíveis erros e garantir a diversidade territorial, de genêro, racial e temática como previa a chamada.

O júri foi coordenado por Georgia Nicolau e Savazoni, diretores do Instituto Procomum. Foi formado pelo escritor Ademir Demarchi, a assistente social; a funcionária da prefeitura de Santos e integrante do Conselho Fiscal do IP, Carmem Brandalise; o professor, designer e um dos fundadores do LABxS, Niva Silva; a jornalista e pesquisadora carioca do OLABI Makerspace, Sil Bahia; e o especialista em tecnologia e democracia, Ricardo Poppi, do Instituto Cidade Democrática.

1. Hackathon da Horta, da São Paulo Lab, da Incubadora de inovações cidadãs
Maratona de design colaborativo para desenvolver e prototipar uma trituradora de galhos movida a pedaladas para a horta comunitária Bons Frutos do Jardim São Manuel, zona noroeste de Santos. O grupo também vai realizar um passo-a-passo de como criar uma trituradora para que a tecnologia possa ser replicada e construída em outras hortas-comunitárias.

2. Transfinitos, de Marina Ramos da Rocha Paes
Promover uma ocupação artística em uma escola pública da cidade com o objetivo de promover a integração entre artistas e estudantes por meio de diferentes linguagens. A ideia é resgatar e promover o protagonismo estudantil das ocupações secundaristas de 2016 com um dia de dança, música, arte urbana e outras manifestações artísticas.

3. Aquecedor Solar de Baixo Custo, de Luciana Jorge Silva
Criação de aquecedor solar de baixo custo com materiais encontrados em lojas de construção para o Coletivo Novo Paraíso em Cubatão.

4. Minas no Hip Hop em Perequê, da FRMH2-BS
Encontro de hip hop organizado pelo coletivo feminista FRMH2-BS no bairro do Perequê, em Guarujá, que visa promover a integração cultural e social das famílias e adolescentes do bairro com atividades da cultura hip-hop (break, rap, discotecagem e graffiti) e apresentações teatrais, espaço infantil e rodas de conversa. As atividades e atrações do evento são majoritariamente realizadas por mulheres do movimento hip hop.

5. Itaquitanduva Sustentável, de Raphel Miranda
Desenvolver um protótipo de triturador de plástico para reaproveitar as garrafas pet retiradas da trilha e da praia que compõem o Parque Estadual Xixová – Japuí e fomentar a reciclagem desses materiais.

6. Móvel de Papelão – Faça o Seu, da Gabriela Mendonça
Duas oficinas de criação de um banco de papelão utilizando fundamentos de corte, dobradura e módulos de encaixe. A ação será filmada e transformada em um passo-a-passo.

7. Marcha Cega, de Lucas Gonçalves Brolese
Duas performances em duas cidades da Baixada Santista para promover uma reflexão sobre empatia e a exclusão social. Trata-se de uma caminhada guiada por um deficiente visual na qual os participantes, de olhos vendados, são convidados a refletir sobre preconceito, falta de empatia, violência cotidiana e indiferença. Também será realizada uma exposição fotógrafica com material documentado durante as performances.

8. Lançamento do Guia de Direitos das Empregadas Domésticas, da Joyce Fernandes Preta-Rara
Realizar um encontro (com rodas de conversa, oficinas temáticas, indicação de consultoria jurídica, terapias e massagens, apresentações artisticas e bazar de roupas) aberto entre trabalhadoras domésticas e o Lançamento do Guia de Direitos das Empregadas Domésticas, elaborado em parceria do Coletivo ComunaDeusa e Observatório dos Direitos e Cidadania da Mulher.

9. Banheiro Seco na Aldeia Guarani Mbya Teko Paranapuã, da Vinicius Duarte de Oliveira
Construção de banheiro seco com técnicas de permacultura na aldeia Guarani Mbya Tekoa Paranapuã em São Vicente.

10. Vestir ECO, da Alzira Lucio
Série de encontros no Morro do São Bento para debater a relação entre moda e meio ambiente em oficinas de estamparia artesanal, turbantes, transformação de jeans e brincos com material reciclado.

11. Projeto de criação e confecção de jogo educativo para circulação em escolas e outros espaços educativos, da Ricardo Silva Ratto Júnior
Desenvolvimento de um jogo de tabuleiro educativo, multidisciplinar e construído com material reciclado. Trata-se de um mapa lúdico da cidade de Santos para oferecer e debater um novo olhar sobre o direito à cidade e a relação com o meio ambiente, que poderá ser replicado e utilizado por educadores da região.

12. Brincar(elas), da Marília dos Santos Fernandes.
Ação de dança, música (tambores), panfletagem e arte urbana realizada por seis mulheres negras para resgatar a história negra e nordestina do distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá-SP.

13. BiciContação, de Eliane Aparecida Cavalieri Lins de Souza
Construção de uma bicicleta adaptada com um pequeno palco com iluminação e duas apresentações de contação de histórias para crianças em Praia Grande. Publicação de um wiki de como construir a bicicleta.

Inscrições abertas para o 6º edital do Facult em Santos

Por Secult Santos

Estão abertas até o dia 9 de março, as inscrições para o 6º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos. A iniciativa contemplará 30 projetos, cada um com verba municipal de R$ 12 mil, totalizando R$ 360 mil de aporte do Fundo de Assistência à Cultura (Facult) no incentivo à produção cultural independente local.

As inscrições podem ser realizadas nos dias úteis, das 9h às 12h e das 14h às 17h. O projeto a ser inscrito deverá ser entregue pessoalmente ou encaminhado por via postal, com aviso de recebimento (A.R) ou Sedex, para a Secretaria Municipal de Cultura – Facult, localizada na Av. Senador Pinheiro Machado, 48, térreo – Conselho Municipal de Cultura, no bairro Vila Mathias. O CEP é 11075-907.

O projeto deve ser entregue ou enviado dentro de uma ‘embalagem única’ (envelope, pacote ou caixa) com a identificação ‘Edital Facult nº 6’, contendo em seu interior dois envelopes, classificados como nº 1, com a documentação exigida, e nº 2, contendo o projeto.

Os cadastros entregues pessoalmente deverão estar acompanhados de quatro cópias da ficha de inscrição do lado de fora da embalagem única. No caso de projetos enviados por via postal, as quatro cópias deverão estar dentro da embalagem. Uma cópia será retida pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult), as outras duas anexadas aos envelopes nº 1 e nº 2, e a outra via de inscrição protocolada e devolvida ao proponente.

Mais informações podem ser obtidas na Secult ou pelo tel. 3226-8000. O regulamento completo pode ser consultado no decreto 7.628, pela página egov.santos.sp.gov.br/legis/.

Quem pode participar

Podem concorrer propostas que contemplem os segmentos artísticos das artes plásticas, artes gráficas, artesanato, cultura integrada e popular, circo, artes de rua, dança, música, teatro, cinema, videografia, fotografia, literatura, patrimônio cultural e natural, infraestrutura cultural ou outros segmentos aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura de Santos.

Somente poderão habilitar-se ao concurso pessoas físicas ou jurídicas de direito privado, de natureza cultural e sem fins lucrativos, domiciliadas ou sediadas em Santos. Cada proponente poderá se inscrever em apenas um projeto, com uma única função artística. Constatada a participação do mesmo proponente em mais de um projeto cultural, ocupando outras funções do quadro artístico, será considerado para efeito de classificação final, o projeto com a nota mais baixa.

É proibida a participação no concurso de servidor pertencente aos quadros da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) e de seus parentes e afins até o segundo grau. Membros do Conselho Municipal de Cultura podem concorrer desde que não participem da Comissão Julgadora e de Acompanhamento de Projetos Culturais.

 

Circuito LABxS premiará 12 ações de inovação cidadã na Baixada Santista

Por Lab Santista

Com o objetivo de fomentar e impulsionar projetos e iniciativas cidadãs locais, o Instituto Procomum lança neste mês de janeiro a convocatória Circuito LABxS (Lab Santista). O projeto irá oferecer 12 microbolsas de 1,2 mil reais para propostas inovadoras que contribuam para melhorar a vida em comum e fortalecer a cidadania. As inscrições podem ser realizadas entre os dias 17 de janeiro e 3 de fevereiro, por meio do endereço http://www.procomum.org/circuitolabxs.

A chamada pública é aberta a pessoas, coletivos, organizações da sociedade civil, produtoras ou pequenas empresas. Cada proponente pode apresentar ou estar envolvido em no máximo dois projetos. A convocatória é inédita na Baixada Santista e conta com recursos oriundos do patrocínio da Fundação Ford para o projeto do LABxS. “O edital é aberto a qualquer boa proposta de caráter público”, afirma Marília Guarita, diretora administrativa do Instituto ProComum (IP).

O Instituto Procomum procura propostas cidadãs, inovadoras, que estimulem a memória coletiva, a democracia, o cuidado com o meio ambiente, que promovam a cultura livre, as expressões artistícas e a colaboração. Elas devem ter caráter público e fortalecer o bem comum – de preferência em espaços públicos da cidade. Exemplos são as hortas comunitárias, os mutirões de limpeza e ocupações de praças, aplicações digitais, cursos e oficinas e atividades artísticas e culturais.

A convocatória é aberta para novas ideias ou a projetos já existentes que necessitem de apoio. “Pensamos que há vários bons projetos que às vezes com um pouco de recurso podem ganhar enorme força. Daí que não há uma regra de como o dinheiro deve ser gasto”, explica Marina Pereira, produtora do LABxS. “O contemplado pode até comprar um equipamento, se quiser, como no caso de um clube de cinema que precisa de um projetor ou uma biblioteca comunitária que deseja adquirir mais livros para renovar seu acervo”.

Os vencedores receberão, além de recursos, orientação técnica do IP. A equipe da instituição estimulará a cooperação em rede entre os contemplados e não contemplados. As atividades premiadas devem ser realizadas entre março e abril de 2017. Os critérios de seleção irão privilegiar a diversidade territorial, de gênero e racial, com ênfase no reconhecimento de grupos que são historicamente sub-representados. Para o diretor-executivo do Instituto Procomum, Rodrigo Savazoni, a convocatória tem como objetivo propor um olhar sobre as cidades como laboratórios, ou seja, um lugar onde seja possível experimentações e invenções: “Entendemos que a principal função desse tipo de intervenção é inventar novas formas de vida, de sociabilidade e de possibilidades de produção e convívio”.

Confira o calendário

>> 17/jan a 3/fev | Período de inscrições
>> 19/jan | 19h | Conversatório e confraternização entre interessados e Instituto Procomum, na Estação Cidadania
>> 10/fev | Divulgação dos projetos selecionados
>> 14 e 15/fev | Reuniões de trabalho entre promotores e equipe Procomum
>> 21/fev | Confraternização e seminário inaugural do Circuito LABxS 2017
>> 3/mar a 23/abr | Realização das atividades
>> 2/mai | Confraternização e seminário avaliativo do Circuito LABxS 2017

Em Santos, 6º Facult recebe inscrições até março de 2017; confira o edital

Por Lincoln Spada | Foto: Vinícius Terra

O 6º edital do Fundo de Assistência à Cultura de Santos, popularmente 6º Facult, consta no decreto nº 7.628/16, publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (dia 30). O concurso municipal de apoio a projetos culturais independentes terá inscrições abertas de 23 de janeiro a 9 de março de 2017.

> Confira o edital na íntegra
> Confira o observatório do Facult

Ao todo, serão R$ 360 mil distribuídos entre 30 produções selecionadas com investimento de R$ 12 mil. Além dos valores, o edital mantém quase todo o conteúdo em relação ao concurso anterior. Entre as raras diferenças, a gratuidade na difusão de obras que não preverem itinerância.

Outra mudança é que agora se entende que o proponente participa de um núcleo artístico e, neste caso, o mesmo núcleo artístico não poderá ter dois projetos aprovados no mesmo segmento. E embora as inscrições sejam ainda presenciais, a Secult se propôs a atender a demanda da comunidade artística em tornar este modelo em uma plataforma virtual noutras edições.

O 6º Facult abrange as áreas de artes plásticas, artes gráficas, artesanato, cultura integrada e popular, circo, artes de rua, dança, música, teatro, cinema, videografia, fotografia, literatura, patrimônio cultural e natural, infraestrutura cultural ou outros segmentos aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura.

Leis cumpridas

Com recursos das bilheterias de teatros e demais espaços municipais culturais, o fundo público é gerido pela Secretaria da Cultura de Santos. Desde a sua criação em 2010, esta é a primeira vez que o Facult mantém a sequência anual de editais publicados no valor completo, conforme prevê a legislação municipal.

 

Ancine abre 4ª Chamada Pública para investimento em núcleos criativos n Sul

A Ancine e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) abriram a partir de julho as inscrições para a Chamada Pública PRODAV 03/2016 do Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 3. O edital vai investir R$ 14 milhões na estruturação de, no mínimo, 14 núcleos criativos para o desenvolvimento de carteiras de projetos.

As inscrições ficam abertas até o dia 15 de setembro. As propostas de núcleos, formados em torno de um líder, devem reunir criadores e roteiristas com o objetivo de desenvolver projetos de filmes, séries, programas e formatos de obras para o cinema, a televisão e o vídeo por demanda. As empresas proponentes devem preencher e finalizar a inscrição eletrônica no Sistema FSA e anexar os documentos requisitados no regulamento do edital.

A avaliação das propostas levará em consideração o potencial criativo da carteira de projetos, a metodologia de trabalho do núcleo, o perfil e a trajetória do líder e dos integrantes da equipe e a capacidade de realização das propostas pelas empresas produtoras. Foram promovidas alterações no regulamento em relação às edições anteriores, como a revisão da grade de critérios para seleção das propostas, com a atribuição de um peso maior ao histórico de projetos desenvolvidos pela empresa proponente. A avaliação da carteira de projetos passa a ser restrita a cinco projetos, a serem indicados pela proponente no caso da carteira incluir projetos adicionais.

Também foram introduzidas regras para criar limites para a atuação de um mesmo profissional como líder em mais de um núcleo criativo: caso o profissional já esteja participando de outro núcleo em andamento, somente poderá integrar uma nova proposta caso fique comprovada a viabilização da produção de ao menos dois projetos da proposta anterior.

Há mudanças ainda nos critérios de indução regional que garantem que ao menos 30% do valor disponibilizado pelo edital seja destinado a propostas originárias das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, e 10% a propostas de produtoras sediadas na região Sul e nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. A partir desta edição passa a ser exigido que pelo menos 60% dos profissionais da equipe do núcleo tenham atuação local na região para que a proposta seja elegível a cumprir os critérios de regionalização. As regras exigem também que a empresa comprove estar sediada há pelo menos um ano em estado pertencente à região na qual cumprirá a cota.

Em agosto, será lançada uma nova chamada pública que permitirá a renovação dos núcleos criativos já em funcionamento. Operando em regime de fluxo contínuo, a nova chamada vai ter como proponentes as empresas contratadas por editais anteriores da linha que comprovem a conclusão das propostas contempladas no prazo estabelecido e a viabilização da produção de pelo menos dois dos projetos desenvolvidos no ambiente do núcleo.

*Ancine