Gabi Brandão mescla estilos e dispensa rótulos em ‘Clock’

Por Fabiola Ribeiro
.
Quando a carioca radicada em São Paulo, Gabi Brandão, decidiu lançar seu primeiro álbum autoral, foi a paixão pela música que norteou a escolha do repertório de “Clock”. O disco de onze faixas passeia por uma despretensiosa mistura de estilos que buscam influência nas obras de Stevie Wonder, Aretha Franklin, Florence and the Machine e na música brasileira dando um ar pop-soul ao trabalho, lançado apenas em versão digital em junho desse ano.
.
Acesse ‘Clock’ pelo seu Spotify clicando AQUI
.
Ao 28 anos, a intimidade de Gabi com a música vem de longa data. A cantora passou dez anos estudando canto, frequentou aulas de piano e teoria musical no Conservatório Souza Lima (SP) e integrou diversas bandas especializadas em eventos como a Fitz. Antes de se juntar a André Freitas para a produção do álbum, se apresentou em bares de Madri e nas ruas de Dublin, e cantou em uma igreja no Missouri e em casamentos judaicos.
.
Muito dessa experiência aparece em seu disco de estreia. Dançante, “Clock” é repleto de canções (todas compostas por Gabi) sobre períodos marcantes da vida da cantora dando espaço a temas como traição, empoderamento e depressão. “O nome do disco – relógio em inglês – faz referência às fases pelas quais passei, a pressa, toda a ansiedade para o lançamento. Tempos em que quis desistir. As canções foram surgindo em um momento de desabafo com o violão e o papel” explica.
.
“As flores virão”, “Recomeço” e “Por onde Vai”, refletem um período de depressão enfrentado pela cantora em 2014. Já “Garotinha”, debocha do rótulo de fragilidade e incapacidade atribuído às mulheres com um discurso bastante atual sobre o papel da mulher na sociedade. O amor e os relacionamentos são apresentados por diferente ângulos nas baladas “Um minuto de você” e “Te deixo a solidão”
.
Com timbres, arranjos e melodias inspirados em artistas como Daft Punk, Michael Jackson e Beyonce, o álbum lista ainda “Tanto quanto você” que traz arranjos a lá anos 60 e quase ficou fora do disco. “Passos de Areia” que conta com a participação do irmão mais velho da cantora Bruno Brandão. Além da participação de Bruno, os pais da cantora ganham uma homenagem em “Lembranças”.
.
“Admita” e “Eu, Meu, Só pra mim” completam o disco que levou três anos para ser produzido passando por fases distintas antes da finalização. “Não imaginava que daria tanto trabalho gravar um disco. No geral, a vida me trouxe um presente, um propósito. Ver como o disco reage com as pessoas, como elas se identificam com as letras é indescritível. Parece que encontrei a minha verdade. O que tenho que fazer aqui neste planeta” completa a cantora.
.
Ficha Técnica

Voz principal e Backing Vocals: Gabi Brandão
Mixado e masterizado por Thiago Lima no estúdio Baeta.
Produção, Teclado e Arranjos: André Freitas
Gravação de baixo e bateria no estúdio Anjos
Participações: Bruno Brandão
Gustavo Baralho – Contrabaixo
Bruno Esteves – Bateria
Heder Vicente – Guitarra

Anúncios

‘Meus Caros Amigos 3’ é atração do projeto Cine Pagu

Por Secult Santos
.
O filme ‘Meus Caros Amigos 3’ é a atração do projeto de cineclubismo Cine Pagu, desenvolvido pelos críticos de cinema Marcelo Pestana e Carlos Cirne. A iniciativa, que objetiva o exercício do olhar cinematográfico, realiza sessão no próximo dia 21, às 15h, na Sala de Projeção Chico Botelho, no Museu da Imagem e do Som de Santos – Miss (Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias – piso térreo).
.
Após a projeção ocorre roda de conversa com os idealizadores do projeto. Gratuito. Com direção de Nanni Loy e os atores Ugo Tognazzi, Gastone Moschin, Adolfo Celi, Renzo Montagnani, Bernard Blier, Mario Feliciani, Franca Tamantini e Enzo Cannaval no elenco, a comédia  retrata os quatro amigos Lello Mascetti , Dr. Sassaroli, Rambaldo Melandri e Necchi, que retornam para mostrar como a vida é difícil de ser levada a sério.
.
Nesta terceira parte da sequência cinematográfica, Lello Mascetti é hospitalizado em uma clínica geriátrica. Mas depois de algumas piadas, os velhos amigos decidem que é hora de divertir os hóspedes. Outras informações na página www.facebook.com/cineclubepagu.

Grupo Fadas promove bazar em prol da Casa da Esperança

Por Danielle Passos
.
Com o objetivo de arrecadar recursos e ajudar no tratamento das crianças e adolescentes atendidos na Casa da Esperança de Santos, 12 senhoras voluntárias se reúnem semanalmente para bordar, costurar e pintar. Todas as peças produzidas pelo Grupo “Fadas” estarão à venda no Bazar das Voluntárias que acontece entre os dias 21 e 24 de novembro, das 11 às 17 horas, na Rua Imperatriz Leopoldina, nº 15, Ponta da Praia, no salão de eventos.
.
O bazar terá artesanatos e diversas sugestões de presentes de Natal: panos de pratos pintados, bordados e com aplicação; almofadas; toalhas de mesa; peças de crochê; bolsas; jogos de cozinha com avental; luvas e embalagens para panetone.
.
Coordenado por Zulmira Maria Simão Rollemberg, o “Fadas” existe há 37 anos. Além da contribuição bastante significativa à Instituição com o resultado da venda das peças, as integrantes do Grupo também conseguem passar momentos de descontração e fortalecimento da amizade, já que todas ingressam por indicação de quem já faz parte da equipe.
.
Histórico
.
A Casa da Esperança de Santos é um centro de habilitação e reabilitação que oferece tratamento médico e terapêutico multidisciplinar nas áreas de Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Pedagogia, Fonoaudiologia, Odontologia e Integração Sensorial.
.
A instituição recebe ajuda governamental, mantém uma oficina e uma loja ortopédica para incrementar a sua arrecadação e tem como principal receita (superior a 50%) doações feitas pela própria comunidade, expresso através das contribuições dos seus associados mensais e “Padrinhos-Esperança”, além do Teledoações, Nota Fiscal Paulista e pela ajuda voluntária da sociedade em eventos beneficentes.
.
Para ajudar a Casa da Esperança de Santos, os interessados podem realizar doações através do site http://www.casadaesperancadesantos.org. Atualmente, a instituição conta com opções de doações recorrentes a partir de R$25,00, via cartão de crédito; depósito bancário ou através do telefone (13) 3278-7818.

Economia criativa é impulsionada no 3º Mutirão em Santos

A 3ª Ediçao já começa a fomentar as compras de fim de ano. Como sempre, trazendo novas marcas autorais, com produtos prá lá de especiais.
.
Serão 11 expositores. Vamos começar falando de comida?!
Na área da gastronomia terão os nutritivos e saborosos lanches do O Seu Lado Nórdico do Bruno De Carvalho Reis, já os doces quem comanda é a Liz Cakes para deixar todos com água na boca.
.
Sempre pensando em enaltecer o charme da mulher, as bijuterias são sempre bem-vindas, e a Marininna e o Santo Bamboo trazem peças maravilhosas com estilos totalmente distintos. Ainda no setor feminino a Bolsas Lá em Casa arrasa com sua produção.
Nosso lar é aquele que requer cuidado e aconchego, e nas mãos dessa turma você estará bem servido, Ateliê Guapuru, Silvia Artesanato e Mamôre Produções Artísticas .
E para trazer alegria os Amigurumis da Deu Nó e as lindas bonecas Matintah da Matintah Pereira.
.
Tudo isso no dia 25 de Novembro na Rua Goiás, 154 altos – sala 3 das 14h às 21h.
Vem você também pro Mutirão.
ENTRADA GRATUITA

Guarujá realiza mostra em alusão ao mês da Consciência Negra

Por Prefeitura de Guarujá

A Secretaria de Coordenação Governamental de Guarujá, por meio da Assessoria de Igualdade Racial e do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Guarujá, realiza neste mês de novembro uma extensa programação em alusão ao mês da Consciência Negra – “Novembro Negro”.

As atividades começaram na última sexta-feira (17) e prosseguem até o domingo (26). A data é marcada por diversas manifestações em todo o País, que promovem a reflexão sobre as conquistas e lutas dos negros pela igualdade.

O Dia Nacional da Consciência Negra será celebrado na próxima segunda-feira (20), data que foi instituída oficialmente pela Lei no 12.519 (de 10 de novembro de 2011) e faz referência à morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.

Na segunda-feira (20/nov), às 9h, há a visita do Busto do Zumbi dos Palmares, na Praça Horácio Lafer (Enseada), com lavagem do monumento, roda de conversa com lideranças do movimento negro, apresentações de capoeira, dança afro, afoxé, escola de samba, entre outros.

No dia seguinte, às 8h, na E.E. Prof. Waldemar da Silva Rigotto (Rua 1º de Maio, 574, Sítio Paecará), acontece intervenção cultural, com capoeira, conversa com Mestre Cícero e palestras sobre cotas raciais, genocídio negro, racismo e desigualdade.

Na quarta-feira, das 18h às 22h, no Teatro Procópio Ferreira (Av. Dom Pedro 1º, 350, Tejereba), acontecem palestras, apresentações de grupos folclóricos, Coral Municipal, entre outros. A União de Negras e Negros pela Igualidade, na quinta, às 19h, realiza palestra e ação cultural no Colégio Adélia Camargo Corrêa (Av. Miguel Mussa Gaze, 247, Vila Santa Rosa).

Por fim, a programação encerra no domingo, das 8h às 22h, no CAEC Ver. André Luiz Gonzalez (Travessa 268, Quadra 77, Morrinhos II), com calendário de capoeira, organizado pelo Centro de Cultura Herança de Palmares Omo Oba Zumbi, Mestre Sandro, participação de Grupo Afroketu.

 

9º Festival de Violões 2017 é apresentado no Palácio das Artes

Por Prefeitura de Praia Grande

No próximo dia 23, às 19 horas, o Teatro Serafim Gonzalez apresenta o Festival de Violões 2017, com entrada gratuita e retirada dos ingressos uma hora antes do início. Essa é a 9ª edição do festival, que presta uma homenagem ao maestro Antônio Manzione.

Os grupos musicais do Núcleo de Criação Artística Palácio das Artes, regidos pelos professores Henrique Aruan e Tabajara da Cruz, apresentam um repertório variado com diversos estilos executados no violão. A Camerata de Violões de Praia Grande, dirigida pela professora Valquíria Duarte, também participa do festival em parceria com os alunos do Porto das Artes, da Secretaria de Educação.

Como convidados, os alunos do projeto Musicalidade na Gota, da Gota de Leite de Santos, com a regência do maestro Thiago Moura, e a Camerata de Violões de Mongaguá, sob regência de Evandro Pires, acrescentam ainda mais brilho ao evento.

A diretora da Divisão de Artes Cênicas e Música, Isabel Samegima, afirma que o Festival de Violões possui grande tradição na Cidade. “É a nova edição do evento, que reúne grandes músicos da nossa região, com a proposta de apresentar um belo espetáculo musical aberto a toda a comunidade”.

O Festival de Violões 2017 acontece dia 23 de novembro, às 19 horas, no Teatro Serafim Gonzalez, que fica no Palácio das Artes, na Av. Pres. Costa e Silva, 1.600. A entrada é gratuita e os ingressos devem ser retirados uma hora antes do início do evento. Informações pelo telefone 3496-5719.

 

‘Imersão Trane’ é apresentado gratuitamente no dia 30

Por Marcia Abbud

No ano em que se comemoram os 50 anos de falecimento do compositor de Jazz John Coltrane, e os 60 anos do lançamento de seu primeiro disco de carreira, será apresentado ‘Imersão Trane’, um mergulho musical em bases históricas e didáticas no oceano da produção musical desse mestre que buscava um sentido de busca, aperfeiçoamento e experimentação.

A partir de parcerias musicais ao longo do tempo, o músico Alexandre Faccas encontra hoje oportunidade de reunir músicos com o mesmo sentido nesse desafio de mergulhar em certas composições ‘coltreneanas’, e trazer ao público essa experiência de livre manifestação sobre temas que apontem a trajetória de John Coltrane.

Para isso foi formado um trio de bateria, piano/teclado e baixo com os músicos André William e Fabio Ferreira aliado a três músicos especialistas em sopros, Maurício Fernandes, Rodrigo Vilela e Alberto Massaglia, igualmente inseridos no universo da obra. O show gratuito será no próximo dia 30, às 21h, no Sesc Santos (R. Conselheiro Ribas, 136).